Show do pelebrói não sei? Eu fui

Postado por Unknown | | Posted On domingo, 27 de dezembro de 2009 at 17:07

  Antes de começar irei dizer que esse foi o show do século. Foda-se Metallica, foda-se ac/dc, foda-se Calypso, pelebrói é A banda

Pelebroi Não Sei  Pelebrói não sei? É uma banda curitibana de panque roque surgida em 95 e blábláblá, é uma banda maneirinha e batutinha, só isso que vocês precisam saber. Eu conheci a pouco tempo ela pelo meu primo e me apaixonei na primeira ouvida, os caras são fodas. Eles estavam parados desde 2006 e esse foi o grande show da… volta? Quem sabe. Mas vamos a história.

  Meu, show de rock é O lugar pra ter gente estranha, puta que pariu, tinha mais gente estranha lá do que numa convenção de Star Wars no Japão, foi uma coisa de louco. Logo na entrada você já pode ver o que irá encontrar pela frente, de longe nos vemos um bando de pessoas de preto com garrafa com tubão na mão e cantando sucessos da sua banda favorita enquanto ficam bêbados antes de começar.

  Eu e meu primo (o mesmo que me apresentou a banda) chegamos bem na hora da primeira banda começar, mas ninguém tava lá pra ver as outras 5 bandas, então fomos beber. No barzinho já me ofereceram maconha, sexo barato, e teve uns caras que me assustaram. No lado da mesa tinha uns 3 velhos e mais uns 3 adolescentes bebendo, até que um desses adolescentes disse pro outro:
- E ae cara, vamu encher o caneco e vazar daqui?
  Eu pensei que ele tava falando do modo figurado, já que encher o caneco eu conheço como encher a cara de bebida, e não é que o filho da puta abriu a mochila e tirou um canecão lá de dentro e começou a encher de cerveja? Fiquei de cara com isso e comecei a rir logo no começo.

  Mas voltando à entrada e as pessoas estranhas. Cara, eu vi lá, perto da entrada, um cara, mas pensem num cara alto e forte, mas não fortinho, forte mesmo, daqueles que se entra em uma rodinha punk só sobra ele. O cara tinha músculos até nos dedos da mão.  Fiquei imaginando na hora que se ele fosse um próctologista iria nocautear nossas merdas.

  Vi também lá uma menina feia, muito feia mesmo, daquelas que pra comer você precisa usar camisinha de isofilme pro pau não ver onde tá se metendo. Além disso era branca, muito branca e cheia de tatuagens que deveriam brilhar no escuro com tanta brancura. E por falar em tatuagens lá tinha tanto que pensei ver uma família vindo no meio e tirando fotos de tudo pensando estar em uma exposição de artes.

  Mas então finalmente chegou a hora de entrar. O lugar do show era um lugar bem pequeno, mas ainda não tava tão cheio. Tocou uma bandinha legalzinha que nem sei o nome e ninguém prestou atenção. Ai no meio tive que sair pra fumar, já que graças a esse filho da puta do Serra aqui não podemos fumar em lugares fechados também. O ruim é que era um show de rock, 99% das pessoas que estavam lá fumavam e já estavam bêbados e eles reservaram um lugarzinho de merda perto do estacionamento para os fumante, o lugar era um cubículo, tava tão cheio de gente aquela merda que eu nem precisava acender um meu, era só fazer um biquinho que algum cigarro aparecia na minha boca. Tinha tanta gente e tanta fumaça que eu imaginava um câncer voando sem saber quem atingir. “Opa, esse tá cheio, esse tá cheio, achei, aqui um lugarzinho pra mim. Porra, já tem AIDS, seria sacanagem demais”.

  Outra coisa ruim era o banheiro. Eu não sei se vocês sabem, mas eu tenho essa coisa de não conseguir mijar em lugares onde tenha pessoas por perto, então mijadouros está sempre fora de questão pra mim. É foda isso, simplesmente não sai, eu fico lá, falando mentalmente com meu pipi mas acho que ele é tímido demais pra fazer isso com platéia, já cheguei a ficar horas dentro de um banheiro na casa de algum desconhecido tentando fazer sair, aí quando vejo que não dá mesmo o jeito é enganar ele, abaixar as calças e tentar cagar. Só assim, que daí o xixi sai, porque cagar sem mijar é quase impossível, pelo menos pra mim, então tenho todo aquele trabalho pra me limpar depois.

  Lembrei também quem teve a brilhante idéia de fazer essa porra de mijadouro colado em duas paredes juntas? Era um banheiro pequeno, cabia uma pessoa em um lado, bem longe da curva que ele faz no centro, uma do outro lado e duas tinham que ficar perto da curva. Aquilo é uma desgraça, você mijar quase mirando em um pinto diferente e sendo mirado também, não tem como. Felizmente tinha uma privada ao lado, e como só posso usar ela, tinha que contar com a sorte pra ela estar livre.

  Mas das 9h da noite até meia noite não aconteceu nada muito especial, só sair pra fumar, comprar fichas pra cerveja (que eram caras pra caralho por sinal), encochar algumas meninas na entrada, ser encochado por caras mal encarados também, beber 3 marcas diferentes de cerveja no mesmo dia (isso me deu uma dor de cabeça que vocês nem imaginam) e encontrar conhecidos cheirando pó no banheiro.

  Um pouco antes de começar o show do pelebrói a triste notícia para todos: Tinha acabado a cerveja. Que tipo de lugar deixa a bebida acabar antes do show da noite? Eu tinha ficado 20 minutos na fila pra comprar a ficha, mais 15 minutos na fila pra comprar e chego lá não tinha mais nada. Ficamos esperando bastante até que a cerveja chegou. Quente.

  Tive que esperar e comprei uma caipirinha. Nessa hora foi o auge da minha noite, andando prá lá e prá cá procurando meu primo eu encontro quem? O vocalista do pelebrói no meio da galera. Porra, não pude perder a oportunidade e fui lá falar com o grande Oneide.

destaqueEsse é o Oneide

 

  Ele já estava mais bêbado que eu, eu falei que era fã dele e que estava lá só por essa banda, essas coisas de fã bêbado paga pau, e o cara é muito gente boa, me deu atenção, falou um pouquinho comigo, tomou minha caipirinha ai uma mulher gostosa tomou toda a atenção dele. Ah, quase esqueci da frase que ele me falou que está marcada na minha vida e ficará pelo resto dela, uma frase que me fez ser o homem mais feliz da festa aquele dia, foi mais ou menos assim:
(eu) – Oneide, é meu primeiro show seu que eu vou, espero que você arrebente
(ele) – E eu espero que você se foda.

  Meu, foi a coisa mais linda que alguém já me disse*-*. Nessa hora eu já tava metidão e fui contar pros meus amigos o que ele tinha me dito, até que chegou a hora do show.

  Fui novamente comprar cerveja e ainda tava quente aquela porra, não resisti e comprei assim mesmo, já tava bêbado de qualquer jeito. Mas tava difícil de engolir. Comprei duas e não achava meu primo pra dar a outra pra ele e o show tava começando, fiquei acho que uma hora com aquela cerveja quente na mão.

  Fiquei lá na frente do palco na hora, no lugar mais animado da casa, com todo mundo pulando, fazendo rodinhas de porradas e rolando muita encochação da minha parte nas meninas, mas não era minha culpa, aquilo tava lotado e se eu fosse pra trás eu seria encochado, elas só tiveram o azar de estar na minha frente.

  O Oneide é muito foda, jogava cerveja na galera, eu tentava pular, cantar e beber ao mesmo tempo, consegui por uns 10 minutos só, até que o calor e meu pulmão de fumante me fizeram parar.

  Fui lá pro fundo e achei o melhor lugar pra ficar, em cima de uma cadeira numa portinha lá atrás. Eu pude ver tudo e ouvir tudo sem precisar me afogar no meu próprio suor como já tava acontecendo. Sem palavras pra dizer sobre esse show, vejam vocês mesmo uma parte que achei no youtube desse dia.

 

  Na música “Fantasminha” ele sempre chama alguma menina da platéia pra dar um grito, meu primo disse que eu tava lá só pra dar esse grito, mas não consegui. Não sou tão bonita assim e tava lá atrás. :P

 

  Chega de pagar pau pra essa banda, quando acabou, mais de 4h da manhã, minha camisa tava muito encharcada e bateu aquela fome maldita. Nem digo o que eu fiz pra comer, mas sei que esse foi um dos melhores dias da minha vida. Vlw pelebrói

213-04-002

Feliz natal pessoal

Postado por Unknown | | Posted On sexta-feira, 25 de dezembro de 2009 at 03:29

  Eu estava aqui me preparando pra festona onde rolará muita bebida pra comemorar o nascimento/morte/ressurreição/casamento/divórcio/ sei lá o que de Cristo e pensei em vocês e no tempo que não atualizo isso. Não vou falar muito dessa vez, meu pai já comprou uma parte das cervejas e os convidados trarão o resto, por enquanto aqui só tem isso.

S6301467

  Espero ficar muito bêbado hoje e amanhã para depois ter histórias para contar para vocês, to meio cansado agora e não quero escrever, eu quero beber e jogar videogame e brincar feito uma criança aqui em casa, já que ela ta parecendo um playground

S6301468  

  Cama elástica, piscina de bolinhas e a mesa de sinuca pros homens da casa nada, mas tudo bem, provavelmente de madrugada pularemos bêbados nessa cama elástica e quebraremos alguns ossos como todo natal acontece.

  Então é só isso pessoas, feliz natal, bebam muito, paguem mico na frente da família, tentem comer aquela prima gostosa, e se divirtam, eu espero poder fazer o mesmo. Abraço apertado em suas bexigas e até breve, que papai Noel ilumine suas vidas (??)

Sessão faça você mesmo

Postado por Unknown | | Posted On terça-feira, 22 de dezembro de 2009 at 01:28

  Estavam com saudade dessa sessão que fez tanto sucesso a um ano atrás e teve ótimos textos enviado por milhares de pessoas (Noah)? Eu imaginei que não, mas ele está de volta, agora com a (nem tão leitora assim) Mareleena, uma menina lindinha e fofinha e legal que enviou esse texto porque estava entediada e não tinha mais nada pra fazer e se recusa a fazer strip na cam pra mim. Uma história emocionante de vida, que fará todos vocês se arrepiarem profundamente.

 

VEMK LIMDINHA rs~çraçsãsç rsaçç[ ?????????

Ai genta , me aconteceu uma coisa muito engrasada nosa, rs . tava la de brinc co os amigo na rodoviária dessa maravilhosa cidade onde só tem pequi, axé e sol (QUE MARAVILHA !) . a gente tava la de bobs porque um amigo queria comprar uma passagem e enquanto ele comprava, eu afastei do grupo como quem não quer nada (só ser estuprada rs anem)

Eis que surge um sujeito muito cabuloso, muito escabroso muito af , e se aproxima de mim ,e um cheiro inconfundível de cigarro , cachaça e sujeira invade minhas narinas, nosa vo pega esse home né. Mas MERMÃO ~~~~ tinha uma coisa que não consegui resistir : MANO, ELE TINHA UM CODIGO DE BARRA TATUADO NA TESTA ??????????????????? ELE CHEGAVA PERTO NOSA GATINHO ELE CHEGAVA AE ELE DISE :

- VEMK LIMDINHA RS

-nnnnnn

RERE VIREI PROCURANDO POR SOCORRO NOSA DESESPERO E AJORA QUEM PODERA ME SALVAR CHAPOLIN KD~~~olia meua migo vindo

-me abraça me abraça me abraç meabrac meabs mebrassa q

Tudo bem , me abrasou com cara de ?.? e uma então a coisa mais extraordinária que podia acontecer, aconteceu : O CARA DA TATUAGE DE CODIGO DE BARRA VEIO PEDIR DESCULPA ?????? JESUS ME DIS PQ ELE VEIO PEDI DESCULPA ME DIS PQ ME DIS rere sentiu intimidado com a altura do meua migo só pode, ele veio disendo asim

-ow moso me desculpa ae ta não sabia q a lindinha era sua vlw rere casal bacana ela é a lindinha e vose é o lindao (estende a mãe e bagunça o cabelo cuidadosament desarumado do meu salvador rs)

VEI LINDAO ???????? LINDAO VAI TOMA NO CU KKK FICOU OLHANDO RINDO DE MIM VSF AHSDUHASDOPAS´DP – du, se você tiver lendo isso sabe q te adoro né rs – AGORA VO TERMINA COM UM PENSAMENTO PARA REFLEXAO FIQUEM AE COM ESA FRASE~~

“ PRA QUE VIVE SE EU VO MORE~~~~~~QUERO MAIS É FUUUUUUU”

Mareleeena -

 

  Então, gostaram? Mandem também seus textos para mim que publicarei com todo prazer, pode mandar por aquele bagulhinho escrito contato ali em cima, ou por orkut (meu fake que uso pra ver pornografias), twitter, comunidade no orkut que está mais abandonada que meu pau, pensamentos, viagem astral, etc.
  Mandem porque to sem inspiração pra escrever algo, então deixarei vocês fazerem a parte chata.

Um romancezinho de merda

Postado por Unknown | | Posted On terça-feira, 15 de dezembro de 2009 at 04:17

  “Um mundo sem trevas é um mundo sem luz, todos estamos fadados a fracassar terrivelmente algum dia, mas é do fracasso que surgem os heróis de suas próprias vidas”

Frases pseudo intelectuais para adolescentes idiotas

Um autor famoso

 

- Manhêêêê, minha buceta está sangrando.
  Essa foi a última frase sã que a jovem Linda Torres M.O. disse antes de embarcar no ônibus que a levaria a um lugar que ela jamais imaginaria estar, um lugar que mudaria sua vida para sempre de uma forma tão violenta que seu passado como uma criança normal nunca mais seria lembrado por ninguém.

  Era uma quarta feira de manhã, o sol brilhava e os pássaros acasalavam-se ao ritmo de samba em postes de luz já destruídos com o desgaste do maldito tempo que acaba com tudo e a todos, Linda estava radiante em seu novo vestido vermelho sangue que sua mãe comprou especialmente para essa ocasião, ela tinha virado uma mulher e estava apta a conhecer o mundo de prazeres que lhe foi reservado desde o seu nascimento.

  Já na escola ela sentia como se todos a olhassem diferente de como a olhavam antes, talvez seja porque ela agora era uma mulher feita, ou talvez fosse apenas o absorvente aparecendo por de baixo do curto vestido comprado em 24 vezes sem juros, ela não sabia ao certo, mas sabia que estava se sentindo como nunca se sentiu antes.

  Na hora do intervalo foi se encontrar com suas amigas no refeitório da escola, e foi lá que ela o viu pela primeira vez: Um homem branco como o pus recém saído de sua espinha, alto, extremamente magro e mal vestido, com olhos penetrantes que fariam uma modelo lésbica gozar ao ser fotografada por aquele homem que era mais desejado na escola do que o nosso desejo de matar a Dakota sei la o que no filme “Guerra dos mundos” – aquela vaca só sabe gritar, pro inferno com isso-.

  Quando ele passou a primeira vez por Linda, ela descobriu que aquele era o homem com o qual ela sempre sonhou, ele era a razão das trocas noturnas de sua calcinha, ele era a razão do consolo de sua mãe ter sumido por três semanas. Ela tinha que conhecê-lo, mas como fazer isso? Ele tinha a fama de mal e nunca falava com ninguém.

  Um dia no estacionamento do colégio algo terrível aconteceu. Um triciclo vindo a mais de 5 km/h estava prestes a atropelar Linda, quando as mãos de um jovem homem branco a salvou das garras certeiras da morte.

  Lá estava ele, seu nome, Leonard, tinha parado o triciclo com suas próprias mãos, esse cara não era normal, sua força era extraordinária e Linda se apaixonou mais pelo homem misterioso.

  No começo ele a ignorava, mas Linda sempre foi muito teimosa e queria ele de qualquer jeito. Ficou muito doente quando passou uma semana na escola o procurando e ele não apareceu, ela já estava desistindo quando o sinal tocou e ele apareceu, radiante na luz fraca de um corredor deserto, com seus trajes negros como nossa visão ao piscar, ele estava de volta e Linda não podia mais perder tempo, tinha que saber mais desse homem.

  Um dia em um bar com as amigas ouvindo a nova banda do momento, Tubaína, Linda o viu de volta lá fora com seus amigos punks sujos e resolveu que aquele era o momento. Correu em sua direção com os braços abertos chorando e implorando o seu amor, quando um pássaro cagou em seu ombro e ela foi ao chão tremendo de medo e dor, sem saber o que fazer e perdendo a consciência aos poucos, ela fechou os olhos e sonhou estar em um pônei branco alado voando por entre as nuvens carregadas de sonhos e esperanças. Quando acordou estava no outro lado da cidade, com Leonard ao seu lado fumando um cigarro de chocolate e dando de comer a um esquilo.

- Como eu cheguei até aqui? Indagou Linda.
- Eu te trouxe, você estava brutalmente ferida com sua mente em ruína e sua alma em prantos, resolvi te afastar da multidão para que não sofrestes mais com a tragédia envolvendo seu jovem corpo belo como as águas cristalinas de um amanhecer em Veneza.
- Vá se fuder cara, para de dar uma de filósofo e apenas responda como um ser humano de 16 anos.
- Você está enganada minha jovem, a natureza nem sempre é generosa com sua raça e as vezes faz alguns sofrerem mais do que os outros. A filosofia está na vida e não em palavras, temos que aprender a sermos bons, ou forças ocultas nos farão sentir a dor penetrante em nossos corpos frágeis.
- Não entendi porra nenhuma.
- Eu não sou um ser humano e meus 16 anos já se foram a muito tempo.
- Você é louco?
- Não.
- Você é gay?
- Defina gay.
- Você queima a rosca, senta na mandioca, descabela o palhaço dos outros, esfrega a abelha e chupa o mel, dança na boquinha do frasco de shampoo, amarra o tênis em fila de cuecas grátis, dança Pole Dancing natural?
- Não encantadora madame, eu não sou gay.
- Mas parece.
- Eu te contarei um segredo, posso confiar em você?
- Claro.
- Eu sou um vampiro…
- …
- Você está com medo?
- Não.

  Após essa descoberta nem tão boa assim, Linda tem certeza que o cara é louco pra caralho e pede uma prova de que ele é realmente um vampiro. Ela pega um gravador e acende um cigarro, pedindo em seguida que Leonard comece a contar sua história de 200 anos.

  “ No início eu tinha 16 anos, um pouco mais velho do que você é hoje, mas aquela época era diferente, com essa idade eu já era um agricultor respeitável. Minha mulher e meu filho haviam morrido a 6 meses, juntos, enterrados em uma sepultura no quintal da…”

  Ei, interrompeu Linda, essa história já existe, entrevista com o vampiro com o Brad Pitt, aquele sim era um gato e um vampiro de verdade. Tá, ele era meio gayzinho no começo como você, mas ele pelo menos matava gente para sobreviver, não vai me dizer que você é vegetariano?

  Sim Linda, não mato pessoas por que isso é errado.

  Mas é assim que tem que ser, vocês foram feitos para matar, não se pode mudar uma lenda, é a mesma coisa que eu disser que sou Jesus e me transformo em Power Ranger pra curar as pessoas e usar a modernidade como desculpa pra essa blasfêmia.

  Linda, você não entende, venha comigo, eu irei te mostrar uma coisa.

  No alto de uma montanha, correndo na velocidade da luz em um apagão e se odiando por ser um fumante, Leonard chega e olha para as nuvens. Pede que Linda não se assuste, mas ele sabe que é algo inevitável, o medo dela é a melhor coisa que já aconteceu com ele, e para melhorar, ele não pode ler sua mente, mas então ele se lembra que não pode ler a mente de ninguém porque ele nem é tão bom assim.

  O sol aparece e Leonard, achando que iria simplesmente brilhar como os olhos de uma bicha ao ver Brad e Tom quase se beijando em entrevista com o vampiro, começa a queimar e se transformar em cinzas. Parece que ele não leu muito bem o que acontece com vampiros no sol, ele foi idiota o suficiente para fazer isso e acaba morto no topo de uma montanha alta.

  Linda, sem saber o que fazer, sem saber se ri ou se desespera por não conseguir descer a montanha sozinha, se joga no chão e pergunta aos céus porque mandou alguém tão fracassado assim para sua vida, e promete nunca mais se apaixonar e nem dar sua buceta.

 

FIM

 

 

P.S: Esse é um romance de ficção, qualquer semelhança com livrinhos best sellers de merda que fazem a cabeça de idiotas hoje em dia é mera coincidência.

Entendendo o corpo humano

Postado por Unknown | Marcadores: | Posted On sexta-feira, 11 de dezembro de 2009 at 20:32

O cérebro:

cerebro

  O cérebro humano é dividido entre 4 e 5 partes, dependendo da sua sexualidade, veja só:

Nas mulheres:

- Lado bom
- Lado mal
- razão
- Reações
- Pensamento

Nos homens

- Lado bom
- Lado mal
- Razão
- Reações

  Todos vocês já sabem por onde os homens pensam

  Então, tudo isso está relacionado entre si, deixa eu tentar explicar mais ou menos como funciona cada um. Digamos que o lado mal é uma bola gigantesca de neve, que vai passando e engolindo tudo e ficando cada vez maior, o lado bom é o sol, mas ele não pode derreter a bola porque ela anda rápido demais, você deve usar a razão para bloquear a passagem da bola e evitar que ela avance e domine tudo ao seu redor, parada e sem poder se mover, será uma tarefa fácil para o sol fazer seu trabalho e mesmo que seja apenas uma luz fraca, irá derreter toda a maldade dentro de você. Claro que a razão quando mal intencionada pode servir para bloquear os raios solares de derreterem a neve, mas isso é outra história.

  Falei bonito em? Gostaram disso, não entendi direito o que eu quis dizer mas deu pra pegar o espírito da coisa.

  Bem, vamos agora para as reações. Existem vários tipos de reações diferentes, vo explicar a que mais acontece comigo em um exemplo simples e de entendimento de todos os ignorantes leitores desse blog repleto de cultura.

  Digamos que eu veja uma aranha no meu banheiro quando estou passando cremes faciais em meu rosto pra tentar ficar bonito. Minha primeira reação é susto, seguida de medo e paralização total do corpo, então vem a vontade insana de matar ela, ai volta o desespero e a fraqueza, seguida de um pensamento de que se eu tentar matar ela, ela irá virar um mortal na parede para cima, pular como uma gaivota atingida por um consolo em movimentos giratórios na minha mão, irá picar com a habilidade de uma leoa faminta atacando um viado que seduziu seu bebê filhote, minha mão irá inchar, cair e nunca mais poderei me masturbar. Com esse pensamento vem a reação do medo novamente, então a agitação, ai a vontade de me livrar logo dela e então eu corro rapidamente e chamo minha mamãe para matar ela.

  Viram? Várias reações em um pequeno espaço de tempo. Agora iremos para outra parte do corpo que está totalmente relacionada com o cérebro…

O coração:

peitos04

Quaseee esse

 

 

 

 

orkut-hi5-coracao_(157)

Esse coração.

  Bem, o coração está ligado com o cérebro, mas sempre podem existir disputas entre eles. Digamos o seguinte: Você olha aquela menina perfeita na balada e seu coração diz na hora: “Vá falar com ela”. Você chega perto de ir mas no instante seguinte seu cérebro diz: “Não faça isso cara, ela é bonita demais pra você, não vá. Se você for eu te farei falar algo estúpido que ela com certeza irá te achar um palhaço”

  Mas você não se importa, você está terrivelmente apaixonado, mesmo só tendo visto ela uma vez e estar sobre influência do álcool. Então você chega, abre a boca e o vingativo lado mal do cérebro faz você soltar o seguinte:
- E ae mina, to doidão das idéia mas tem como eu dar uma lambidinha na sua língua? To excitadão minha tesuda.

  É, o cérebro te fez falar merda (junto com a bebida, o lado mal e o álcool são amigões quase de infância), mas o resultado não depende dele, depende do cérebro da garota, que como já vimos, tem a capacidade de pensar. Mas as vezes ele não pensa e você pode se dar bem com essa. As chances são poucas, mas pode. 

  Mas digamos o óbvio, você se fudeu. O coração pode saber das coisas, mas ele tem que ter a provação do cérebro, ele é o carro chefe de tudo, o jeito é fazer os dois entrarem em um acordo. Como você pode fazer isso? Não faço a mínima idéia, os meus se odeiam e me fodem diariamente, mas você pode descobrir como sozinho, vá em frente rapaz, faça o melhor.

 

  Por último mas não menos importante, o resto do corpo. Sua parte externa, física, sei la.

  Também é importante, seu corpo sofre as reações que o cérebro e o coração decidem, o corpo sempre está fazendo força, se movendo, reagindo. Exemplo de uma cagada, para cagar, você precisa utilizar de 3 forças diferentes: Uma para chegar, uma para abrir e outra para sair, e tudo isso é fornecido pelo cérebro. Se seu pinto fica duro, é culpa primeiramente do cérebro, que te fez pensar sacanagem, então ele manda uma mensagem pro coração mandando-o mandar (quanta mandação) um pouco de sangue para o pinto, nessa hora os dois entram em sintonia e agem perfeitamente.

 

  Por enquanto é só pessoal, obrigado por terem participado dessa aula super interessante, agora que vocês já aprenderam como o corpo funciona, faça-o trabalhar. Se masturbem ou mostrem os peitos na cam pra mim… Sério, to precisando disso, por favor*-* .

Meus dias como camelô

Postado por Unknown | | Posted On quarta-feira, 9 de dezembro de 2009 at 01:20

S3010336

Há uns 3 ou 4 anos atrás eu trabalhei como camelô numa barraquinha que minha vó tinha no centro, as barracas ficavam dentro dessa rua da cidadania, o que já é um avanço porque não precisávamos correr que nem loucos quando chovia, mas ainda se molhávamos bastante quando fazia calor. Pensem num lugar quente, mas muito quente mesmo, e as barraquinhas onde ficávamos era minúscula, cabia uma pessoa no máximo lá dentro, mas como minha vó nunca confiou em mim ou gostava muito de trabalhar, ela ia sempre e eu tinha que sentar do lado de fora.

Lá dentro era realmente um inferno, trabalhar lá era um inferno, eu ganhava apenas 10 reais por dia, trabalhava mais de 12 horas e ainda tinha que aguentar clientes filhos da puta de chatos que se achavam no direito de reclamar de um defeito em um óculos que ele pagou 10 reais (sim, óculos que eu vendia custava 10 reais, eu vendia em média 20 desses em um dia normal e só ganhava o preço de um).

Trabalhar como vendedor é uma tarefa difícil, lidar com pessoas nunca foi minha praia, mas até que eu fazia isso bem, era simpático, legal, atencioso, mas sempre rolava algo estranho e engraçado nesses dias corridos que era o final do ano, quando várias pessoas “legais” enchiam a rua da cidadania pra comprar presentes baratos para seus familiares inúteis que seu casal obrigava a visitar.

Certa vez, não sei se vocês se lembram dos famosos óculos HB, que era (ou é ainda, não sei) febre entre vileiros carçudos e pessoas metidas a playboys, eu vendia muito desses, eram os mais baratos, mais resistentes e os mais procurados. Nesse dia eu estava sozinho na banca porque minha avó tinha ido sei lá onde fazer sei lá o que, e tava bom, ficar sozinho lá era a única coisa que valia a pena. Então após vender muitos óculos, chegou um carinha com a cara meio fechada e pediu pra experimentar os óculos.

Eu fui mostrando pra ele e dizendo as qualidades de cada um, então cheguei no HB.

“Senhor, esse óculos é muito bom, se encaixa em praticamente todos os rostos, fica muito bem em todas as pessoas, tem várias cores e de todos aqui ele é o mais resistente e forte, deixa eu te mostrar como…”

CLAC!!

Sim pessoas… eu fui dobrar o óculos como eu sempre fazia para mostrar que ele era forte e resistente e o filho da puta quebrou na minha mão. Sabe aquelas horas onde você não sabe onde enfiar a cara de tanta vergonha? Pois é. O pior é que o cara começou a rir, sem parar, e ainda dizendo: “Ahã garoto, super resistente, posso perceber isso”.

Então ele foi embora, ainda rindo, e eu fiquei com cara de idiota o resto do dia.

secretpb

Outras coisas divertidas que aconteciam por lá era quando aparecia algum gringo. Nenhuma banca das redondezas tinha vendedores que falavam inglês, muito menos eu falava isso, então quando aparecia algum era um show de mímica, era gringo apontando pros óculos, os vendedores levantando as duas mãos e dizendo deeeeeeeeeez bem devagar, duas vezes seguidas, como se eles fossem deficientes e não falassem outra lingua, e levantavam duas vezes para dizer que custava 20 reais, porque com estrangeiros o pessoal metia a faca mesmo e tava nem ai, se fossem xingados não entenderiam mesmo.

Também de vez em quando apareciam meninas extremamente lindas. Na minha barraca era difícil isso acontecer, porque tinha pelo menos mais 5 na frente da minha bem maiores e com vendedores mais bonitos, não sei porque mas elas não costumavam ir em barracas onde tinha um feio com cara de autista sentado na frente e uma mulher idosa no fundo provavelmente comendo alguma coisa extremamente gordurosa, por algum motivo que eu desconheço elas não preferiam comprar nesses lugares.

Mas uma vez uma foi, acho que foi a primeira (e única, que sabe) vez que eu cantei uma menina na cara dura sem estar bêbado. Ela veio com suas amigas, e era muito, mas muito linda mesmo, e começou a experimentar os óculos. Ai ela perguntou o que eu achava do que ela estava experimentando, eu disse que ela ficava bonita de qualquer jeito.

Grande erro meus amigos, as meninas que estavam com ela começaram a rir e ela disse rapidamente o seguinte: “Você tá aqui pra vender ou pra cantar todas que passam”??

¬¬

Novamente fiquei sem reação e sem palavras. É foda pensar em algo bom numa situação dessas, eu apenas fiquei quieto e desviei os olhos enquanto elas saiam de perto sem levar nada e algumas ainda rindo. Depois que acontece isso com a gente, começamos a pensar em várias respostas que poderíamos ter dado, mas já era tarde demais e o jeito foi engolir a vergonha e seguir em frente.

Outra coisa que me lembro que aconteceu, e novamente devido a minha burrice, foi o seguinte. Chegaram dois homens bem vestidos até, pediram vários tipos de óculos para experimentar e quando acharam um que eu não tinha, imploraram, dizendo que era aquele que eles queriam de qualquer jeito e pagariam quanto for para tê-lo. Eu, burrão, caí nessa e comecei a correr pelo lugar à procura dos fornecedores, caras que abriam uma barraca só para vender óculos para os vendedores e deixei a barraca sozinha. Achei e quando voltei para entregar, já pensando em cobrar 25 reais no mínimo (se eu vendesse um óculos de 10 reais por 25 o resto ficava comigo. Mas não contem pra minha vó que eu fazia isso, esse tipo de coisa não é bem vindo lá) e quando apareci estavam faltando uns 15 óculos do mostruário da frente.

Puta que pariu, fui roubado por ser um idiota. Meus amigos de outras barracas apareceram, dizendo que tinha visto o que aconteceu e mandando eu ter mais cuidado, que isso era irresponsável, blábláblá. Não entendo porque eles me deram bronca mas não pararam os homens. Cambada de filhos da puta.

Aconteceu que fiquei 3 dias trabalhando sem receber pra pagar os óculos, só 3 dias era pouco, mas era minha vó, ela até que era boazinha.

No momento só consigo lembrar disso que aconteceu nessa fase sombria da minha vida. Trabalhar cansa. E envergonha. Depois disso nunca mais arrumei um emprego de verdade e nunca mais tentei cantar uma menina sóbrio…

Jornal Seguidores do Velho Barreiro

Postado por Unknown | Marcadores: | Posted On terça-feira, 8 de dezembro de 2009 at 12:24

Desculpem a demora para postar aqui pessoal, é que essa semana passei quase o tempo todo trabalhando nesse jornal que inicialmente seria um trabalho de escola, mas depois resolvi aumentar um pouco e fazer um jornal pra esse blog. É um jornal sobre sexo, com péssimas atuações, péssima direção, péssima edição, péssima sobriedade da parte dos envolvidos e péssimo roteiro, mas até que ficou legalzinho.

Na parte 1 vocês irão conferir a parte mais "séria" do video, a parte que foi pra minha professora de artes e que me fará ficar com 10 nesse bimestre (ou não), nessa parte conta com a participação dos meus amigos Kenny e Chuchu, que são da minha sala e aceitaram me ajudar nessa merda.
A parte 2 já é mais zuada, feita quando estávamos muito bêbados, e com a participação dos meus amigos Felipe, Ruann e Ramon como cameraman, que adoraram gravar e eu adorei ter eles aqui gravando isso. Essa é a melhor parte na minha opinião, com direito a minha grande música "bucetinha pequenina lindinha", que eu escrevi a uns 3 anos e só agora pude gravar e ainda meu rap V1D4 L0K4 malvadão. Espero que gostem, já que deu um puta trabalho editar isso, tive que aprender na marra a editar e ainda não ficou lá aquelas coisas, mas o que vale é a intenção.
Se você for um puritano maldito, religioso fanático, anti-palavrões e anti-pessoas bêbadas... vá tomar no cu, você nem deveria estar aqui, para o resto, bom divertimento...

Parte 1:


Parte 2:

Dicas de como não pagar mico em um baile sertanejo

Postado por Unknown | | Posted On terça-feira, 1 de dezembro de 2009 at 14:26

(Não é lá um Luan Henrique, mas até que manda benzinho)

1º - Não encha a cara, a combinação de luz fraca + música alta + mulheres bonitas + seguranças não dá muito certo.

2º - Uma mulher linda acompanhada que não para de olhar para você sobre o ombro do parceiro e dar risadinhas não significa que ela esteja muito afim de você, talvez signifique apenas que um cara bêbado balançando a cabeça ao som de uma música sertaneja seja muito engraçado e idiota.

3º - Você e seu primo não são uma dupla melhor do que a que tá cantando no momento, não tente provar que são, o palco e a platéia as vezes podem ser muito cruéis.

4º - A dupla que está cantando não vai cantar a sua música romântica favorita, não insista. E se você for chato ao ponto de obrigar eles a fazerem isso, não comece a cantar no ouvido de toda mulher que ver, elas preferem os cantores profissionais.

5º - Uma mulher de 45 anos não vai transar com você no banheiro masculino, novamente não insista.

6º - Um cara alto com uma camiseta preta escrita “segurança”, realmente é um segurança, e não um amigo confidente que quer escutar sua choradeira.

7º - Se um barman te disser que você já bebeu demais e tá na hora de parar, escute ele, ele conhece um cara que ultrapassou os limites da cachaça e está mal, não tente fazer um escândalo, seu “amigo” segurança pode ser malvado quando quer.

8º - Não dance se você não sabe dançar.

9º - Nem toda mulher que estiver bebendo vai ficar com você, principalmente se o marido dela estiver do lado, e correr no meio do salão protegendo sua cabeça não é uma cena que você queira se lembrar pro resto da vida.

10º - Não faça todas essas coisas numa mesma noite, ou você se sentirá um idiota por um bom tempo, como eu estou me sentindo.

 
Web Analytics