Eu sempre quis ser um mago

Postado por Unknown | | Posted On quinta-feira, 26 de novembro de 2009 at 17:05

 

cavdodragao-6-fl_album2

  Sempre gostei de magias, poderes maneirinhos soltados pela mão que brilhassem e machucassem os outros, ou poderes de cura, mas isso é gay demais, os caras que ficam curando os outros podem ser essenciais em uma aventura, mas ainda são covardes e retardados. Apesar de que com isso eu poderia curar uma das coisas que mais me afligem: Acordar de pau duro e com vontade de mijar. É muito foda isso, você não pode mijar porque ta de pau duro e também não pode bater uma porque ta com vontade de mijar e isso é uma sensação ruim. O pior é que o bichinho não amolece de jeito nenhum, parece que ele e meu cérebro fazem um pacto de toda manhã um não abaixar e o outro não parar de pensar em pornografia, acho que o único jeito de resolver isso seria com magia.

  Mas então, eu viveria em um mundo onde a magia seria usada diariamente, várias pessoas querendo o poder mais forte do mundo mas nunca conseguiriam, porque eu seria o mais forte do mundo. Andaria por ai com meu fiel amigo, algum bichinho feio mais simpático que voasse e fosse inútil mas que eu tratasse como se fosse a coisa mais importante do mundo, e atravessaríamos os vários mundos existentes atrás de alguma vingança clichê, do tipo: O feiticeiro do mal matou meu irmão e agora estou a procura dele para me vingar, ou matou minha família inteira quando eu era criança e depois disso fui treinado por um cavalo preto voador que me ensinou como usar minha força interna e como comer uma loira sem que ela fosse morta pelo ataque pica de ferro.

  No caminho de minha jornada eu encontraria magos poderosos, guerreiros com espadinhas e mulheres fracas que queria me fazer compania para poder dizer pra sua família em seguida que pegou o cara que destruiu o homem mais malvado e forte do mundo.

  Magias seriam muito úteis na nossa vida, se tele transportar para qualquer lugar da terra, sem precisar mais andar, porque andar é realmente um saco, eu ando daqui até meu colégio e já fico todo suado, e olha que ele não dá nem 10 quadras de distância, mas eu não aguento isso, minhas pernas doem, minhas lindas, gostosas e perfeitas pernas não foram feitas para andar, foram feitas para o amor *-*, meu cachorro é a prova disso.

  Outro “poder” que eu queria que funcionasse era aquele “O segredo”, sim, eu já tentei aquela merda, mas nunca deu certo, fazem 10 anos que penso em perder minha virgindade e até agora nada. Alguns dizem que para encontrar o amor não devemos procurá-lo, é como uma busca no armário de comida. Várias vezes eu já abri ele procurando um pacote de trakinas e achei passatempo, mas quando eu ia procurar passatempo eu achava trakinas, é a lei da vida, mas também não acredito nisso, é difícil não procurar uma mulher quando você acorda de pau duro toda manhã. Também o segredo não funciona comigo porque minha mente não consegue se focar em apenas uma coisa, sempre mudo de pensamento na metade (exemplo disso é esse post, que já ta ficando estranho), um dia eu almejo ser um escritor, no outro já quero ser um cineasta, no outro já quero ser um cientista e no outro já to querendo simplesmente encontrar aquela porra de trakinas mesmo sabendo que só tem passatempo.

  - Pausa no post, vo pensar na continuação dele enquanto me delicio comendo passatempo enquanto cago e fumo ao mesmo tempo, imagino ser uma sensação boa -

  Voltando e não, não é uma sensação boa, principalmente quando na metade alguém bate no portão, você ergue as calças rapidamente pra ver quem é pensando ser alguém importante e chega lá é um cara fazendo propaganda de um cemitério. O maluco ainda disse: Papai e mamãe estão em casa jovem? Quero falar com eles sobre as vantagens do cemitério Vertical de Curitiba e sobre nossos planos para a pós-morte… Vantagens?? Vá tomar no cu cara, ninguém aqui pretende morrer tão cedo e se isso acontecer não vamos procurar vantagens em cemitérios, iremos procurar um lugar que tenha terra e não lugar como esse

capa2 Um ponto turístico na cidade de Curitiba?? Nunca vi nenhuma pessoa dizendo pros amigos: “É cara, pretendo visitar Curitiba semana que vem só para ver o cemitério vertical, sabe como é né? Em Curitiba todas as pessoas são frias e anti-sociais, então não fará muita diferença eu ver pessoas andando ou de baixo da terra”

  Mas tudo bem, deixamos o cemitério de lado por enquanto porque o cara foi até meio simpático, todo mundo tem que trabalhar e encher o saco na casa dos outros, uns querem vender produtos de beleza, outros um lugar no paraíso e outros um lugar numa urna (acho que segundo o panfleto eles não enterram pessoas ali, eles queimam, o que não faz muita diferença pra mim queimar ou ser enterrado, de qualquer jeito eu estarei fudido).

  O pior é enquanto o cara falava e eu estava praticamente todo cagado passou um carro na rua com um maluco bebendo cerveja e ouvindo pagode no último volume pra todos ouvirem. Que porra, pagode+merda+cemitério? Eu esperava ver essa combinação no velório do Zeca Pagodinho, não na frente da minha casa.

  Mas já mudei totalmente de assunto em relação à magia e ser um mago, claro que sendo um mago eu poderia matar pessoas, ou usar uma poção para fazê-las ressuscitar das cinzas e virar uma Fênix feliz, mas isso já ta ficando podre demais então irei parar por aqui.

Aconteceu comigo

Postado por Unknown | | Posted On segunda-feira, 23 de novembro de 2009 at 14:12

P.S. (Antes do texto pras pessoas que estão lendo de ponta cabeça): Esse post era pra ter saído sexta feira, mas eu fiquei viciado no Stickam e simplesmente não conseguia mais sair de lá.

P.S.2 : GTA, winning eleven God of War e Final Fantasy apavoravam

P.S. 3: Consegui ver peitos no Stickam*-*. Váários deles

P.S. 4: E outras coisas das mulheres também, foi uma semana boa

P.S. 5: E alguns pintos

P.S 6: Maravilhosoooooooooooooooooooos

depressao3

  Isso aconteceu comigo cerca de um ano atrás, mas só agora fui me lembrar disso porque esses dias aconteceu algo parecido comigo mas dessa vez eu estava em casa e os danos não foram tão ruins assim. Vamos lá.

  Nessa época eu ainda andava bastante com meus amigos pelo centro, eles me chamavam pra sair de vez em quando e éramos todos felizes e saltitantes. Como de costume encontrei com eles depois do almoço no centro da cidade, em uma praça repleta de maloqueiros que tomam banho em uma fonte com uma cachoeira, mendigos que pedem esmolas para comprar pingas e cantores fracassados que cantam músicas próprias que ninguém quer ouvir acompanhados por um tiozinho em um violão e outro em um instrumento estranho que nunca tinha visto na vida. Como sempre também eles se atrasaram e eu fiquei esperando por quase uma hora, porque pontualidade não é uma das virtudes deles, assim como a heterossexualidade.

  Uma coisa que vocês devem saber é que tem um frango que minha mãe fazia, acho que é assado, ou frito, ou requentado, sei la, que sempre me dava uma puta de uma diarréia. Nunca entendi o porque, mas acho que já superei isso.

  Mas então estávamos no centro, e vocês provavelmente sabem como é isso, aquela coisa terrível que acontece quando vocês tentam discretamente soltar um peidinho no meio da rua e percebe que ele veio acompanhado com algo mais. Algo mole, nojento e fedido. Sim, isso aconteceu no meio da rua, nem sei como nem porque, mas eu comecei a suar e ficar nervoso e eles me perguntaram o que tinha acontecido e eu fiz a besteira de contar. Já devem imaginar a zuação, mas depois eles foram solidários e começou a procura insana em busca de um banheiro naquela porra de centro.

  O primeiro que entramos era uma típica pastelaria de chinês/japonês/africano (nunca sei a diferença entre eles), uma das várias que existia naquela rua. Entramos e perguntamos do banheiro e o filho da puta disse que era só para clientes. Eu não tinha dinheiro nenhum, mas meu amigo tinha e perguntou se eu queria um pastel. Porra, eu tava indo cagar na pastelaria, não comer a merda deles. Então eles pagaram um para eles e eu pude entrar. Não é surpresa nenhuma saber que lá não tinha papel higiênico. O lugar era tão sujo que eles deveriam usar a massa para limpar o cu antes de vender para nós, só isso explica aquele gosto de merda nos pastéis gigantes mas com carne que não encheria um risoles de festinha infantil.

  Tudo isso foi em vão, o pior é que tinha mais soldadinhos querendo sair. Sim, costumo chamar eles de guerreiros de merda. Um exército tentando atravessar a fronteira para outro mundo desconhecido, mas a força exercida por seus homens nem sempre é o suficiente para abrir a grande porteira final, então por vez apenas alguns conseguem sair enquanto outros aguardam uma nova chance para se rebelarem e atravessarem o grande portão intacto.

  Saindo da pastelaria eu disse pra eles que o único jeito de sobreviver era eu aguentar chegar no shopping. Lá o banheiro é limpo e eu conhecia um apenas para funcionários no segundo andar que quase ninguém mais conhecia, então eu teria privacidade para me limpar direito e tirar aquela sensação de assadura.

  Felizmente chegamos lá, eu fui direto e pedi para eles esperarem lá fora, porque o bagulho ia ser feio. Caguei… muito mais do que eu esperava, nessa hora os soldadinhos já estavam todos agitados e saindo como se o portão tivesse sido rompido por fora pouco tempo atrás, o que não aconteceu, é claro, porque eu não sou gay. Gastei muito papel higiênico do shopping, tive que tirar minha cueca e lavar ela na pia e guardar na mochila depois. Fiquem sem cueca o resto do dia e ouvindo a zuação de meus amigos também. Mais a noite ficamos todos bêbados e esquecemos disso por completo, a caganeira não voltou, ninguém abusou sexualmente de mim e ficamos felizes para sempre…

  Isso que eu chamo de uma história de merda, mas fazer o que? Foi o melhor que consegui lembrar. Agora meus amigos irão ler isso e se lembrarem daquele dia e terão histórias para contar em nossa próxima reunião, que será daqui uns dois anos quando eles lembrarem que eu existo.

Eu não entendo os bissexuais

Postado por Unknown | | Posted On quarta-feira, 18 de novembro de 2009 at 15:16

Atenção, esse é um post homofóbico feito por um cara 100% nem um pouco homofóbico eu acho. Fiquem a vontade para me xingar, essa é só a opinião de um cara que realmente não entende vocês.

batmanrobinantigo2

  Bissexualidade… o que dizer sobre isso? Estamos no século 21, isso é normal, principalmente nos pré adolescentes filhinhos de papai que dizem querer experimentar coisas novas. Nunca entendi isso, o cara tá lá sussegado no sofá e derrepente começa a pensar: “Caralhoooo véio, como será que é ter um pinto enfiado na minha bunda? Terei que sentir isso, acho que meu amigo Pedrinho vai me ajudar”. Ai ele vai lá e dá, talvéz goste, talvéz machuque, isso depende apenas do Pedrinho.

  Com as mulheres também, devem pensar: “Pintos são feios, estranhos, acho que vou fazer algo melhor, pegar minha amiga, ela tem belos peitos e acho que será uma coisa muito boa para nós duas”. Ai ela vai, transa com a amiga e talvés goste, talvés não, depende do tamanho do vibrador.

  Isso é estranho, pelo menos pra mim, não está certo. A lei da natureza é o oposto do que você tem entrar em você, ou colocar em algo oposto ao seu, bundas foram feitas para cagar e quem sabe para fazer brincadeirinhas com seu próprio dedo, e não para ser penetrado brutalmente por um virgem que enfiaria até em um cactos se tivesse uma camisinha de ferro.

  Beijar um ser do mesmo sexo eu também já acho estranho, nunca me imaginei beijando um homem (opa, droga, agora comecei a imaginar, ahhh faça eu parar), com aquela barbicha roçando em minha cara e aquela língua feita para lamber clitóris encostando na minha que foi feita para lamber meu próprio saco se eu conseguisse.

  Eu tinha um amigo que era bissexual (estou me focando mais em homossexualidade do que em sapatossexualidade [????] porque mulheres se beijando me excitam, e se eu começar a pensar nisso esse post não sairá porque meu teclado pode parar de funcionar), sim, ele disse que ERA. Só uma coisa de adolescente que queria experimentar coisas novas, eu também já fui adolescente, acho que ainda sou, mas o que eu experimentei de coisas novas sou viciado até hoje, e isso não envolve pintos. Ele disse que um dia estava lá, na casa de um amigo vendo um filme pornô. Os dois estavam excitados e tal e começaram a se masturbar um na frente do outro. Eu não quis saber os detalhes e acho que vocês não vão querer saber também, mas foi tenso o bagulho.

  Nem tenho mais o que falar sobre isso, foi legal falar mal dos homens e das mulheres, mas isso não faz sentido e tá chato pra caralho. To preparando um post bom e esse foi só para completar minha série “eu não entendo” e para fazer as pessoas que vão no meu msn me encher para postar algo aqui loco calarem a boca (sim, é com você mesmo Glauco :P).

  Não sou gay, não sou homofóbico, não sou machista e não sou feminista (??) e to de saco cheio de escrever hoje, desculpem por terminar tão mal uma série que teoricamente era boa e que me deu muitos xingamentos, confiram as outras partes se ainda não leram aqui: http://oteuku.blogspot.com/2009/11/eu-nao-entendo-os-homens.html

Guia prático de como comer uma mulher menstruada

Postado por Unknown | Marcadores: | Posted On quinta-feira, 12 de novembro de 2009 at 14:02

21244295_4

(Always de noite é mais gostoso. Ultrafino, lubrificado, flexível, dorme bem… Me identifiquei com esse absorvente)

1º Passo, a investida

Você não pode comer sem antes fazer ela te dar, a não ser que você a estupre, mas pra estuprar uma mulher menstruada você deve ser muito doente, então vamos fazer do jeito certo, chega nela assim

- E ae garotinha fofinha, vamu fudê?
- Não dá, eu to sangrando.
- Porra, mas nós ainda nem começamos
- Não, eu to menstruada.
- Não se importe docinho, não sou absorvente mas comigo você pode ir para qualquer lugar.
- Até para a cama?
- Até para a cama.
- Mas isso vai ser meio nojento
- Querida, se sangue fosse nojento o Drácula sugaria esperma.
- Você é nojento.
- Se eu fosse nojento você não estaria prestes a me dar (faça cara de safado)

Pronto, você conseguiu concluir o primeiro passo e o mais difícil, conseguir que ela te dê, agora é só relaxar e continuar seguindo minhas dicas.

2º passo, as preliminares

Todo sexo precisa de preliminares, mas nesse caso aqui vai uma dica importante: Não lamba ela. A não ser que você goste de chupar picanha mal passada em churrasco de família. Deixe que ela te chupe. Veja se ela tem um colchão d’água, ai será melhor ainda, vai parecer que você tá transando numa piscina. Terá líquidos para todos os lados.

Acaricie seus seios normalmente (seus = os dela, seria estranho você esfregando seus próprios mamilos na frente de uma mulher), beije seu corpo, passe um paninho na vagina dela, e espero que você já tenha colocado um pano de baixo da blood Mary, senão a cama já era.

Fique assim até seu semi morto amiguinho se levantar, ai será a hora de por a camisinha. Você pode escolher qualquer uma, pode ser uma camisinha de heroína, para comer uma buceta doidona, ou uma em forma de barril, pra você poder recriar o episódio do pica pau onde ele desce uma cachoeira dentro dele, claro que essa cachoeira será vermelha escura, então você também pode se imaginar sendo um umpa lumpa num rio de chocolate.

Feito isso é hora do 3º passo

3º passo, a fudeção

Tem vários jeitos de começar a comer, desde ser violento e rápido – desse jeito irá parecer que está tendo uma guerra de hímens dentro dela, todos se estourando ao mesmo tempo e jorrando o sangue do rompimento em cima de você- ou até o jeito calmo e tranquilo – imagine que você tá lavando um copo na água quente. Você coloca, tira, limpa. Coloca, tira, limpa… – mas de qualquer jeito seu pau se sentirá o próprio Moisés abrindo o mar vermelho, e no final você pode até tirar a camisinha pra brincar de paintball com ela, você atira com a arma branca e ela com a vermelha e vê quem vence.

Esses foram os 3 passos principais de como agir contra uma mulher menstruada, eu sei que foi meio nojento, mas um dia você irá passar por isso, tenho certeza. No final é só acender um cigarro, deixar que ela limpe tudo e depois se mandar.

Eu sei que foi um post meio machista, mas to nem ai. Da próxima vez escrevo um guia de como comer um homem com hemorróidas.

Espero que isso tenha sido útil para vocês, aproveitem o período da menstruação para fazer isso, é melhor do que ser apressadinho e tentar comer ela na TPM, porque nessa fase você não vai conseguir nem pagando.

Sonhos loucos

Postado por Unknown | | Posted On terça-feira, 10 de novembro de 2009 at 13:46

  Eu sempre tenho sonhos estranhos, muito estranhos. Sei lá o que se passa pela minha cabeça mas ela ta precisando urgentemente de uma descarga. Aqui alguns sonhos que me lembro que aconteceram essa semana.

fotos-de-japoneses-dormindo2

  Eu estava na escola e tava rolando alguma festa, não lembro bem o desenrolar da história, mas o importante é que uma menina que conheço me chamou para perto dela. Cheguei lá e ela me pediu um beijo na buchecha. Eu fui, é claro, ela virou o rosto e quando eu iria dar o beijo ela virou a boca na minha direção. Mas não foi uma coisa normal, ela virou já com os olhos fechados e a boca aberta, foi uma cena muito estranha, você ver ela com aquela cara de idiota com a bocona aberta e a língua já começando a sair da boca. Mas eu a beijei, foi legal, ficamos nos beijando por um tempão, nos abraçando e o pior de tudo é que depois ela parecia feliz com isso, como se me pegar fosse algo bom para alguém. Não entendi nada né? Mas ok, continuamos. Me lembro que ela tava com vergonha de aparecer comigo perto das amigas, isso eu entendo, não sou o tipo de cara que vocês apresentariam para a família, amigos ou animais de estimação, mas chegou uma hora que ela me chamou pra ir pra casa dela ver um filme. Eu não aceitei sei la porque também, então começamos a andar até o ponto de ônibus para ir pra casa já que nosso colégio nesse sonho se mudou da favela para o centro da cidade. Na frente do meu ponto tinha uma barraquinha de cachorro quente que eu descobri que eram os pais e irmãos dela que eram os donos. Fiquei com medo, imagine se ela me apresentasse pra eles? 3 homens e uma mulher mal humorada vendo a filha pegar um monstro como eu, tenho até medo do que eles poderiam fazer com todas aquelas salsichas. Ai acordei, e como vocês já devem imaginar, fiquei de pau duro e molhei minha cama.

  Em outro sonho eu era um cara fodão. Era um “caçador de monstros”, com direito a espada, escudo e um bichinho de estimação que flutuava ao meu lado e só falava o seu nome. Estávamos em um lugar bonito, com água, floresta, pedras, etc.. Nesse sonho eu briguei com meu primo Leandro por causa de besteira, algo do tipo ele ficar zuando comigo na frente de duas meninas que eu queria pegar e ele ter roubado elas de mim. Mas como eu já disse nesse sonho eu era um cara fodão, mas não fiz nada com ele, porque o código dos guerreiros me impedia de matar pessoas próximas de mim. Saí e várias coisas ruins aconteceram comigo, eu fui apedrejado por uma criança ranhenta e cabeluda, derrubei um piazinho de bosta de um cavalo voador e ele ficou bravo e eu fui obrigado a cortar todas as pernas do cavalo, e outras coisas. Até que resolvi fugir, ser um cara livre e caçar por dinheiro. Cheguei em uma esquina onde tinha uns caras parados, eu contei minha história e ele me deu 10 reais pra eu fazer minha primeira missão: Colocar uma aranha no quarto de uma menina que morava ali perto. Eu fui, mas chegando lá me deparei com uma cena que até agora enche minha mente de fantasias eróticas: Ela estava mostrando os seios na janela do 2º andar de sua casa. Fiquei encantado com isso, ela era uma princesa prostituta.

  A noite chegou, eu estava com a aranha na mão (estranho isso, porque como vocês sabem eu morro de medo desses bichinhos nojentos e assassinos por natureza), pulei bem alto (era um sonho, eu era quase um personagem do tigre e o dragão) e entrei em sei quarto escuro e cheiroso. Essa parte do sonho ficou confusa. Não comi, não beijei, não vi e não coloquei a aranha, mas peguei ela nos braços e fugimos para longe correndo o mais rápido possível. E só… sonho estranho. Acordei de pau duro e molhei minha cama.

300_capa2   Por enquanto só me lembro desses, eu tinha algo mais pra escrever mas esqueci. Então até a próxima.

Como seria minha vida…

Postado por Unknown | Marcadores: | Posted On segunda-feira, 9 de novembro de 2009 at 15:42

Se eu fosse para a prisão

img(1)

  Eu teria que fazer algo grande e perigoso, pra chegar lá e ter o respeito dos caras malvados que gostariam de um cu novo pra se divertirem nas noites frias e chata da cela. Como eu sou um cara pobre, eu teria que roubar uma bolsa de uma velhinha corcunda com diabetes e seios no joelho para eu poder comer, porque você sabem que sou pobre né? Sou tão pobre que quando ligo meu Windows pirata ao invés de aparecer a mensagem para adquirir uma versão original aparece um anúncio de empregos. Sou tão pobre que adestrei minhas merdas pra saírem sem fazer sujeira para economizar papel higiênico. Sou tão pobre que quando chove eu faço uma fogueira no meio da rua com ervas para ver se a água se evapora em chá. Ok, já entenderam o quão pobre eu sou.

  Então eu tentaria roubar a velhinha, mas não sou daqueles tipos que pega a bolsa e foge, eu a conquistaria primeiro. Chegaria na velha e diria: “Senhora, você é tão linda que se fosse um pasto eu cagaria aí perto só para poder esfregar minha bunda em você”. Ela logo ficaria encantada é claro, quem não ficaria? Então me chamaria para a sua casa para uma sessão nervosa e quente, regado a tortas de morango e café meio amargo. Nesse meio tempo que ela foi para a cozinha esfriar meu café passando ele de um copo para o outro, eu pegaria sua bolsa e sairia correndo.

  Mas o que eu não esperava é que a velhinha se transformasse em uma super saiajin da 3ª idade e viesse correndo em minha direção, dizendo as palavras: Você me traiu, seu cachorro, te dei meu corpo e minha alma gasta e é assim que você me retribui? Então eu tentaria fugir, o máximo que eu pudesse mas seria alcançado e levaria uma surra tão grande que até meus espermatozóides pintariam de roxo os azulejos do banheiro. Seria levado para a delegacia onde um homem mal com um cacetete estaria a minha espera pra me levar para o presídio mais próximo…

  Chegando enquanto todos me olham, eu começaria a dançar para atrair a confiança deles, mas não seria o bastante, eu seria estuprado.

  Dividiria minha cela com um negro alto e malvado, que tinha parado lá por roubar doces de uma criança infeliz e solitária na praça do Japão que nunca tem japoneses, e faríamos uma amizade colorida e duradoura, até que ele resolve me estuprar.

  Na cantina enquanto eu como aquela gororoba sem sabor - dizem que comida da prisão é igual mulher feia, você come por necessidades, mas não sente nada com isso – eu tento armar uma revolução com os presidiários. Faço uma cartinha de amor endereçada ao diretor, com o nome de: “seu pau”, que seria mais ou menos assim:

“ Senhor diretor do meu coração. Sou seu pau e te amo, você costumava me usar muito bem e me fazer feliz em todos aqueles entra e sai em diversas nádegas diferentes, mas agora estou ficando muito magoado com o senhor, e estou sentindo inveja da minha parceira de corpo, o cu, que agora ele recebe todos os privilégios da relação sexual enquanto eu fico aqui, sem ter o que fazer e ouvindo o senhor saco escrotal reclamando da bateção que bolas alheias causam nele. Espero realmente que o senhor mude isso, obrigado. De seu amigo para sempre, seu pau”.

  Mas logo ele descobriria que fui eu quem fiz isso, então sem pestanejar, ele me estuprou para fazer as vontades do seu pau. Logo eu descobri que a vida na cadeira não é fácil, e começo a me arrepender de tudo de mal que fiz na vida. Então resolvo fazer uma lista de todas as coisas más que já fiz e tentaria mudá-las, eu só estava tentando ser uma pessoa melhor, meu nome é Ear… Luan.

1º – Mordi a língua da minha primeira ficante com medo que ela roubasse meus dentes e os engolisse.
2º – Bati na bunda da minha professora da 5ª série pensando que fosse uma prostituta e depois ofereci 15 reais pra ela por uma chupetinha.
3º – Aceitei que minha professora da 5ª série fizesse uma chupetinha em mim.
4º – Espanquei um gato até a morte, pena que ele não morreu e até hoje ronda meu telhado em busca de vingança.
5º Matei o pai de um chinês burrinho que sabia lutar kung fu e o obriguei a fazer uma viagem gigante até aqui em busca de vingança. Pena que meu gato matou ele para não ter concorrentes.
6º – Beijei uma gorda e a chamei de meu amor.
7º – Substituí uma flauta na festa do meu colégio por mim só para tentar ser chupado e assoprado e tocado, mas me descobriram porque a tinta começou a se levantar em um lugar onde deveria ficar um buraco.
8º – Masturbei um tiranossauro no museu e consegui uma ereção monstruosa
9º – Roubei a bolsa de uma velhinha inocente.
10º – coloquei pó de mico no meu cu antes de ser estuprado por todos na prisão.

  Mas aí eu percebi uma coisa, como eu iria concertar tudo isso se eu estava enjaulado? Eu teria que fugir e adicionar isso na lista, mas eu pretendia voltar. Então após uma sessão semanal de filmes na prisão onde passaram “Um sonho de liberdade”, eu tive uma idéia brilhante. Pena que todos também tiveram e descobrimos que as paredes eram de ferro da pior maneira possível.

  Sem ter o que fazer, eu fui estuprado dia após dia, os caras gostaram disso porque depois de me comer parece que eles tinham uma sensação diferente de todos os outros caras, o pau deles coçava e isso era bom, e fui aguentando até que um dia morri de aids e fui enterrado numa poça de água onde tive meu corpo comido novamente por urubus.

  E sem nunca ter comido uma buceta.

  É, espero não ir para a prisão, não gostei dessa vida não.

 
Web Analytics