Tirei a minha habilitação

Postado por Unknown | | Posted On sexta-feira, 24 de junho de 2011 at 14:36

Alerta de spoiler: Esse texto vai ser uma merda

1304374950_195202247_1-Fotos-de--Compro-carro-BATIDO-SINISTRADO-mesmo-com-perca-total

  Depois de um ano passado, muitas vitórias, muitas decepções e muitos apagões alcóolicos, eu tirei a minha carteira de motorista. Essa é a história sobre o meu último exame.

  Eu passei.

  E agora essa é a história sobre um unicórnio na minha vida:

  Há algum tempo atrás, enquanto eu caminhava suavemente pelas gélidas ruas de pedra da cidade natal do meu avô, que pelo sotaque dele deve ter sido a Paraíba, ou algo tão próximo a isso que eu realmente não consigo diferenciar, eu encontrei um unicórnio.

  Ele era foto e tal, mas morreu. Foi então que resolvi tirar a minha carteira de motorista, porque já que eu não posso mais voar livremente pelo mundo dos sonhos e da fantasia, pelo menos eu vou poder parar de pedalar. Não sei se vocês tem conhecimento disso, mas pedalar cansa pra caralho.

  Eu pensei comigo mesmo, estou perdendo muitas coisas da vida enquanto pedalo, por exemplo: Se eu tivesse um carro enquanto eu estudava, eu saberia que Paraíba não é uma cidade e sim um estado, mas quem liga pra isso, certo?

  Mas voltando ao tema principal de toda essa confusão, foi nesse dia que eu descobri a minha fascinação por mulheres de cabelos vermelhos. Quando você olha para uma mulher normal, você apenas vê o básico: Olhos, sorriso, peitos e, se você for estranho igual eu, pés. Mas mulheres de cabelos vermelhos tem algo a mais. Além de ter os cabelos vermelhos, é claro. Eu olho e vejo rebeldia, eu vejo o fogo ardendo dentro de seus olhos, eu vejo uma menina sendo espancada pelo seu pai e abusada sexualmente pelo seu tio Jorge, e isso me excita de uma maneira inacreditável.

  Eu meio que tive uma namorada de cabelos vermelhos esses dias, longa história, ela pintou de preto e me deixou. Cu.

  E é exatamente nessa parte que o unicórnio entra, mas vou deixar pra lá porque esse texto já tá quase ficando pior do que aquele poema sobre o meu pau que eu escrevi a uns anos atrás.

 

  Meu pau

  Oh meu pau, virando pra esquerda nas curvas da vida
  Oh meu pau, tão belo e formoso
  Meu pau, meu pau
  tentei chupar mas não era gostoso

 

 

Gostou desse texto? Então porque não compartil… o que? Você achou uma merda e nunca passaria isso adiante? Ficou tão ruim assim mesmo? Tá bom, mas eu prometo que tentei.

Vida de um frentista

Postado por Unknown | | Posted On segunda-feira, 13 de junho de 2011 at 14:21

Talvez parte I, talvez parte unica, ou talvez parte III e você tenha sonhado com as outras duas

ESSO

  No meu serviço, não é rara as vezes que sou chamado de ladrão por pessoas que desconhecem o dispositivo presente nas portas de alguns modelos de carros, que permite que elas sejam abertas. Então como elas não conseguem sair do carro e ver eu abastecendo, elas automaticamente pensam que eu fico dançando balé com as chaves deles na mão e pego seu dinheiro sem abastecer.

  Eu não sou um ladrão, e muito menos um bailarino.

  Um dia desses isso aconteceu comigo. Dia dos namorados, domingo de tarde, eu trabalhando normalmente e uma mulher começa a ficar histérica dentro do carro, dizendo que eu não abasteci e que iria chamar a polícia pra me prender caso eu não devolvesse o dinheiro.

  Era dia dos namorados, e sei bem o presente que ela precisava ganhar e que obviamente ficou sem.

  Me xingou, gritou, disse que eu não abasteci porque o medidor de gasolina dela não se mexeu. E eu, com toda a calma do universo, utilizando da minha experiência para lidar com pessoas problemáticas que desenvolvi nas festas familiares aqui de casa, expliquei.

  “- Minha linda, o tanque do seu carro tem 50 litros. Você abasteceu 10 reais de gasolina, o que dá exatamente 3.8 litros (no posto que trabalho a gasolina é cara pra caralho), só para sair da reserva você iria precisar colocar 10 litros, 3.8 não faria cócegas nem nesse seu cu, imagine no tanque”.

  Mas é claro que essa explicação simpática não foi o suficiente, ela iria lutar até o final para ganhar o título de cliente mais retardada que já atendi, ganhando do cara que me perguntou a diferença de preço entre o álcool e o etanol.

  Então mandei ela conversar com o gerente, que disse as seguintes palavras:

  “- Minha linda, 3.8 litros não faria cócegas nem nesse seu cu, imagine no tanque”.

  Ela ficou brava, xingou mais um pouco e disse que nunca mais voltaria a abastecer lá. Várias pessoas dizem que não vão mais voltar pra abastecer lá, acho que elas tem a ligeira impressão de nós nos importamos.

  Isso é igual as pessoas que não tem muito dinheiro, pedem pra abastecer pouco e acham que devem contar uma história sobre o porque de estarem abastecendo pouco:
“- Coloca só 5 reais, só pra eu chegar em casa”.
”- Me vê 25 centavos de gasolina, esqueci minha carteira na casa da minha prima e vou voltar lá pra pegar”
”- Quero 1 real de álcool, porque sou pobre e esse carro é roubado”.

  O fato é que estamos pouco se fudendo para o quanto você abastece, se você pagar pra mim colocar meu pinto no seu tanque e mijar, eu farei isso, e vai funcionar normalmente se seu carro for à álcool.

  Mas voltando para a mulher histérica. Depois de brigar com todo mundo, ela ligou o carro novamente pra sair, olhou pro painel e disse:

“- Desculpa moço, to vendo aqui agora e o ponteiro mexeu”.

  Sério…

 
Web Analytics