Desculpas e mais do meu trabalho

Postado por Unknown | | Posted On quarta-feira, 19 de outubro de 2011 at 14:46

 

  Eu tive alguns problemas pessoais esse mês, por isso a falta de postagens. Desculpem, mas prometo que isso não acontecerá mais, to tentando mudar algumas coisas, e, à partir de hoje, irei me comprometer a escrever dois textos por semana, um na quarta e um no sábado. Nem que eles saiam ruins, nem que eles saiam pequenos, mas eles sairão. Já devo ter perdido todos meus leitores, mas ainda tenho você e sua mãe, o que já basta pra mim. E agora mais do meu trabalho.

Bêbados, ô racinha maldita

  lulajw2

  To criando um ódio gigante de bêbados, esse pessoal só sabe encher o saco, experiência própria, já que eu sou irritante ao extremo nas poucas vezes que fico levemente embriagado todos os dias.

  Agora to trabalhando de noite, atendendo bêbados, putas e crentes em sua maioria, três tipos muito parecidos em níveis de chatice. Esses dias foi um carro lotado disso tudo pra abastecer, e eu, sempre risonho e marotinho, fui atendê-los com a simpatia de um adolescente famoso por videos de auto-humilhação pública.

  Nem lembro quanto ele pediu de gasolina, mas eu comecei a abastecer normalmente conversando com meu companheiro de serviço quase virgem. Estava tudo normal, até que do nada o motorista saiu do carro com raiva nos olhos e gritando pra mim:

- Cara, você tá maluco? Eu pedi gasolina seu imbecil, você tá botando etanol no meu carro, vai fudê tudo ele!

  Enquanto falava ele desligou a bomba de gasolina e continuou a me ofender:

- Agora você vai ter que tirar isso, de algum jeito. Caralho, só me faltava essa agora, você não presta atenção no que tá fazendo não?

  Todos os outros dentro do carro ficaram quietos ouvindo o bêbado que levava a vida de todos em sua mão. Eu fiquei quieto também, esperando ele terminar, e o cara que trabalha comigo também ficou quieto porque ele é meio idiota.

- O que você vai fazer agora? Hein? Puta que me pariu, esse carro não é flex, caralho. Você não vai falar nada não, seu bosta?

  Falei pra ele com a calma e tranquilidade adquirida em anos tendo que lidar com minha própria consciência estranha:

- Não, só vou esperar pra ver a sua cara quando perceber o que está escrito logo acima da alavanca que você acabou de abaixar. Esse é meu trabalho, eu sei como fazer ele. Deu 18 e 25 tudo, paga pra esse cara aqui porque pra mim chega.

  Saí de lá e fui pro banheiro pra fumar e acalmar um pouco. Segundo meu amigo esse cara foi zuado por todos os bêbados/putas/crentes que estavam no carro com ele e ele saiu sem pegar o troco de 20.

  Por essas e outras que eu repito: Bêbados, ô racinha maldita

blog comments powered by Disqus
 
Web Analytics