A felicidade

Postado por Unknown | | Posted On quinta-feira, 5 de maio de 2011 at 13:19

 tequila-10195

  Felicidade é algo absurdamente estranho. Em um momento você pode sentí-la, enquanto toma chá de camomila com bolinhos doces na companhia de uma pessoa amada, e no outro você está sentado em seu quarto esfumaçado imaginando o porque de estar se sentindo mais lixo do que bolachas água e sal que compartilham a mesa de seu café ao lado dos inacreditavelmente deliciosos bolinhos doces.

  Você pode ter tudo o que sempre sonhou: um amor, um carro novo, uma casa própria, uma família amorosa, um emprego que pode não ser lá aquelas coisas mas paga o suficiente para permitir a aquisição de novos e frescos bolinhos doces todo o dia, mas mesmo com tudo isso você tem o direito de se sentir uma merda de vez em quando.

  Mas porque nos sentimos uma merda de vez em quando? Não podemos culpar a falta de bolinhos, pois isso seria estúpido. Não podemos culpar a nós mesmos, pois quase sempre fazemos as coisas certas, ou no mínimo, achamos que estamos fazendo a coisa certa. Talvez podemos culpar a sociedade, mas é de conhecimento de todos o fato de ela estar pouco se fudendo para todos nos.

  E é claro que nunca podemos culpar o chá de camomila, ele é apenas um acompanhante para os bolinhos doces, seria como culpar uma prostituta de olho roxo por não ter feito direito o seu trabalho.

  Dizem que felicidade é relativa, para uns apenas ter o que comer é felicidade, para outros isso não é o bastante. Para alguns ser gay é ser feliz, para outros isso é doloroso.

  Eu gostaria de poder ser feliz como os Beatles pareciam em um filme deles, onde eles corriam e pulavam e parecia que aquilo era a melhor coisa do mundo. Mas se eu começar a correr e a pular no meio da rua, além de eu parecer um completo imbecil aos olhos dos outros, é claro, eu corro o risco de ter um infarto.

  Ok, esse texto já ficou retardado demais e totalmente diferente daquilo que eu queria escrever. Mas vou publicar para fazer vocês perderem seu tempo assim como eu perdi o meu.

blog comments powered by Disqus
 
Web Analytics