Meu amigo burro

Postado por Unknown | | Posted On terça-feira, 23 de março de 2010 at 00:35

   Era uma vez um amigo, vamos chamá-lo simplesmente de Felipe, pois esse é seu nome. Felipe é o típico gordo que só faz gordice, um cara mais azarado do que eu, fanático por mangás, comédias vagabundas e videogames. Mas nada vence a maior gordice que ele já fez, namorar por sei lá quantos anos com o capeta, uma gordinha do mal, egocêntrica, vagabunda e manipuladora, uma ladra de inocência, mas até que meio gostosinha, eu comeria.

  SS100040

(Felipe e ela ao fundo, eu segurando vela)

  Esse fim de semana ele veio aqui em casa (agora eles já terminaram, por isso posso falar mal dela, eu espero) e pedi para ele me contar todas as histórias dessa menina que o conquistou e o amarrou, tirando sua virgindade e sua pureza sagrada, seu orgulho e sua vida (isso sim é ser dramático). Ele contou algumas histórias que infelizmente não lembro porque eu já estava bêbado demais pra prestar atenção em tudo o que ele disse, mas sei algumas coisas que posso contar.

  Ela tinha alguns fetiches duvidosos e estranhos, como, segundo meus outros amigos, latir. Eles contaram que certa vez Felipe e sua namorada estavam transando, eles chegaram perto da porta para ouvir e estavam latindo. Porra, acho que levaram muito a sério a posição cachorrinho, tudo bem que ela era realmente uma cadela, mas ele tá longe de ser um cachorrão. Tenho até medo de saber o que faziam na posição frango assado, deve ser algo no mínimo nojento.

  Mas meu amigo também não é 100% santo, diz a lenda que ele guarda no seu armário um colchão manchado pela menstruação da sua ex mulher. Quando me contaram isso só consegui pensar: puta que pariu, esse cara só pode ser doente. Imagine que coisa grotesca isso? Daqui a pouco aquilo vai se desenvolver e criar um monstro menstruado do armário que atacará toda a população com sua fúria da tpm eterna.

monstro (monstro da menstruação atacando o Felipe)

  Ele também contou sobre uma vez que estavam no quarto, transando, segundo ele foram 4 na mesma noite e usando a mesma camisinha. Isso deve ter virado um verdadeiro saco de porra, acho que no final disso ele colocou a camisinha no congelador e fez geladinho pra ela chupar no outro dia, não pode uma coisa dessas.

  Mas ele é um gordo que só faz gordice, como eu já disse, na certa deu só uma com a mulher e não conseguiu gozar e falou que foram 4. Se eu conheço essa menina no final da primeira ela já estaria dormindo ou reclamando sobre ele não conseguir fazer nada direito.

  Outra coisa que fizeram para apimentar o sexo foi ela ter feito pra ele um lambe-lambe, um chupa chupa o cabeção, uma linguada de vaca, tá, um boquete, utilizando chocolate no pipi dele. Foi uma meleca do caralho isso, e ele confessou que não trocou de cueca por três dias após isso. Imagino se ela tivesse usado mel ao invés de chocolate, ele iria botar uma colméia nas calças pra ver se inchava e não precisasse fazer tantas coisas estranhas pra satisfazer ela.

  Todos nos ficamos felizes quando eles terminaram, nas festas aqui em casa que ela vinha eram muito ruins, a vaca não deixava ele beber, queria ir embora mais cedo, brigava com ele na nossa frente e porra, minha casa é pra ter alegria e bebedeira, se eu quisesse ouvir uma mal comida reclamando da vida eu iria no encontro mensal das mulheres na igreja da minha tia.

  Eles transaram no meu quarto em uma dessas festas, ela foi lá pedir uma camisinha para mim, eu dei porque não uso muito elas. Se trancaram no meu quarto e ficaram… ainda não sei porque, mas ela saiu de lá brava com ele, veio sentar no meu lado, tentei deixar ela feliz e acabei apanhando dela. Ai brigaram e foram embora.

  Nunca fiquei com tanta raiva dela como esse dia. O Felipe me contando as histórias deles foi algo mais divertido, pena eu não lembrar de nada agora, mas espero que tenha uma continuação onde terá mais detalhes do que ela fez para esse pobre garotinho burrinho.

blog comments powered by Disqus
 
Web Analytics