Como seria a minha vida

Postado por Unknown | Marcadores: | Posted On terça-feira, 2 de março de 2010 at 01:53

Se eu morasse sozinho

¬¬

  Em primeiro lugar, se isso acontecesse na época pré microondas eu com certeza morreria de fome bem rápido, não sei cozinhar, nunca soube e não tenho muita vontade de aprender. Esses dias eu fritei um ovo tão ruim que se a galinha que soltou ele tivesse experimentado ela teria mandado eu enfiar ele no cu, porque ela se fudeu pra fazer sair, eu fudi o gosto dele, o mínimo que ele pode fazer é me fuder.

  O que seria da nossa vida sem o miojo e os congelados não é? Esses tempos atrás eu fiquei sozinho o dia inteiro em casa, fiquei desesperado procurando um miojo no armário para matar minha fome, passei horas nessa busca incansável e não achei nenhum. O que eu poderia fazer para comer? Nem água eu sei ferver direito e tenho que colocar um termômetro dentro dela pra garantir que está quente o suficiente. Minha mãe disse que esse é um jeito errado, mas pensem bem: a água borbulha quando está fervendo. O que faz uma água borbulhar? Peidos em baixo dela. Então pela lógica tem uma bunda gigante e invisível dentro de toda panela, e quando estamos doentes, onde nossa mãe costuma colocar o termômetro? Pensem nisso…

  Mas voltando a minha falta de comida, nesse dia inventei de fazer hambúrgueres. Enchi uma frigideira de óleo (é o jeito certo?) e coloquei dois lá dentro. Aquela coisa espirrou mais que pinto de jovem perdendo a virgindade e o chão da cozinha ficou ensopado daquilo. Os hambúrgueres quebraram, e eu, espertão, resolvi colocar uma fatia de queijo em cima dele e virar. Nem preciso dizer que grudou tudo em baixo da frigideira e queimou.

  Tirei e eu, ainda não satisfeito com aquela obra de arte, resolvi colocar mais queijo em cima e presunto, não tinha pão, então fiz um sanduiche louco. Achei um pedaço de frango na geladeira que de tão velho tava tremendo e mordiscando uma azeitona embolorada pensando que era viagra. Botei dentro do hambúrguer e coloquei no microondas.

  Pensem numa coisa ruim… a cada mordida parecia que eu estava lambendo a minha privada após uma festa da feijoada com a descarga estragada, mas comi até o fim, porque isso é igual dar o cu no seco, você sofre mas aguenta até o final pra mostrar que é machão.

  Outra coisa que não daria certo em morar sozinho é limpeza. Eu costumo trazer copos para o meu quarto e deixar eles aqui, quando junta tantos que não tem espaço nem para uma gota de suor escorrer entre eles eu resolvo lavar. E também teias de aranha na parede. Eu morro de medo de aranha, é a única coisa que me faz sair gritando igual uma menininha pedindo ajuda para meu pai (isso e quando enrosco meu saco no zíper), mas mesmo sabendo que se uma aparecer eu congelarei de medo, não tenho coragem de passar a porcaria de um aspirador de pó pra tirar essas coisas daqui.

  Ai sempre aparece uma aranha gigante na minha porta, eu não consigo sair, não adianta gritar e não consigo matar ela. Então fico encarando, pensando em uma estratégia e o que fazer caso ela resolva pular no meu pescoço e sugar todo meu sangue até eu virar um pedaço de pele jogado no chão e meu cachorro me usar como cama por alguns dias até algum cobrador sentir minha falta e vir me procurar.

  Morar sozinho deve ser foda, eu não consigo nem trocar uma lâmpada sozinho, uma vez tive que trocar e fiz a casa inteira ficar sem luz por um dia, não me perguntem como fiz isso, mas aconteceu.

  Pretendo ano que vem ir morar com uns amigos, se eu tiver dinheiro pra pagar alguém que limpe, passe, lave, me dê banho e dê comida para os meus peixinhos que um dia terei, posso viver tranquilo e feliz, mas se eu tiver que fazer 50% dessas coisas, eu não serei o único pedaço de lixo que irá viver ali. Me vejo como o Joe, do Joe e as baratas, mas não fumarei tanta maconha a ponto de imaginar que elas estão falando comigo…

blog comments powered by Disqus
 
Web Analytics