Azarento

Postado por Unknown | | Posted On segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010 at 23:52

  Eu estava no banho, após ter terminado minha 2ª sessão de relaxamento noturno (a primeira é ver pornografia pesada e a segunda consiste em cagar enquanto fumo um cigarro) e comecei a pensar sobre o que escrever. Às vezes eu tenho muita vontade de escrever algo mas não sei sobre o que falar, então tenho que pensar por um tempão até que surge algum assunto inútil, dessa vez foi até rápido para ele surgir.

  Resolvi falar sobre banho, eu estava fazendo isso e comecei a pensar no que eu poderia falar. Pensei em dizer o quanto eu odeio banho, sério pessoal, não sou um porco, mas é chato pra caramba isso, tomar banho todo dia quando eu nem saio de casa e não tem ninguém pra me cheirar, e até que gosto do meu fedor, é aconchegante, e penso que o fedor de um homem diz muito sobre sua masculinidade, é claro que ter um pinto também ajuda, mas o ponto é que gosto de feder um pouco quando to sozinho.

  Banho é um saco, ficar lá, lavando tudinho de baixo de uma água pelando enquanto pensa em coisas inúteis como o que postar no blog. Fiquei pensando nisso quando de repente caiu alguma coisa do chuveiro que o fez ficar gelado de uma hora pra outra. Meu, tem algo mais broxante que isso? Você lá, na água quente com o corpo todo ensaboado e de uma hora pra outra ela fica gelada e você não tem tempo pra fugir dela e dá um grito de dor e arrepio por causa da mudança repentina de temperatura. Imagino que seja algo parecido com estar em uma suruba quase gozando e alguém acender a luz e você se perceber comendo o Faustão.

faustao(Ô loko meu, sai daqui) 

 

  O estranho é que foi bem no meio do meu pensamento falando mal do banho, acho que o chuveiro se sentiu ofendido por causa disso e pensou: “A é? Não gosta de estar de baixo de mim então? Vou te dar um bom motivo pra você não me querer mais por perto”

  E eu fiquei lá, com o corpo pra fora da água, meu corpo tremendo, minha cabeça cheia de shampoo e meu corpo ensaboado até na entrada do cu sem ter o que fazer a não ser encarar o frio e terminar o mais rápido possível.

  Isso até que não seria tão ruim, água fria ajuda a esfriar a cabeça e por os pensamentos no lugar, seria até agradável se não fosse o fato de ser quase meia noite e estar uns 15 graus lá fora. Saí do banho ainda tremendo, meus machucados do último tombo ainda latejando de dor, botei uma roupa, fui na cozinha pegar uma cerveja e vim relaxar no pc pra esquecer tudo isso.

  Mas a noite ainda não tinha terminado, tinha alguém disposto a fazer desse dia outro dia de merda na minha vida. Escrevendo, fumando um cigarro e bebendo, não demorou muito pras minhas mãos jeitosas ao extremo toparem com a ponta do cinzeiro lotado fazendo muita cinza cair sobre meu teclado e minha roupa recém trocada.

  Sem pânico, isso é fácil de limpar mesmo não podendo ligar o aspirador de pó uma hora dessas, comecei a passar um pano e trocar de roupa mais uma vez, quando minha esperteza novamente me ataca me fazendo apertar o botão “power” do teclado. Download perdido, o começo desse post também, e quando fui ligar o pc bati na lata de cerveja e derrubei metade no chão.

  Puta que pariu, se isso não é muito azar não sei mais o que é. Pelo menos após limpar toda essa sujeira parece que ficou tudo bem, o azar resolveu me deixar em paz por enquanto e pude voltar a escrever e conversar no msn antes de dormir.

  Até que fui voltar pra cozinha pra lavar o copo e ele escorrega da minha mão caindo no chão e fazendo um barulho danado que acordou todos de casa… era o copo favorito do meu pai, presente de um amigo a mais de 15 anos. Amanhã estarei morto.

blog comments powered by Disqus
 
Web Analytics