Bundinha de nenê

Postado por Unknown | Marcadores: | Posted On segunda-feira, 22 de junho de 2009 at 21:11

  Sério pessoal, existe algo mais irritante do que ficar com a bunda assada?? Isso é uma das piores coisas do mundo e aconteceu comigo esses dias, foi tenso, mas contarei mais ou menos como foi.

hipoglos 2

  Eu normalmente acordo 1h da tarde e fico no pc até umas 6h, quando vou almoçar, nesse dia não foi diferente, tava la almoçando, vendo o ratinho normalmente e agora eu to com essa mania de sempre cagar depois das refeições. Deve ser normal, mas antigamente eu cagava nas madrugadas, isso sim é bom, no silêncio, com o friozinho congelando minhas bolas. Mas voltando nesse dia terminei de almoçar lá pelas 6 e 15, ja tinha tomado banho antes e só precisava me arrumar pra ir pra escola. Mas foi aí que ela veio. Sabe aquela vontade tremenda de cagar que bate na gente e não tem como resistir? Daquelas que você para de respirar com medo de afrouxar o cu e sair tudo antes da hora? Então, foi uma dessas. Corri pro banheiro, liguei meu sonzinho maneiro, os cascavelletes que cantam uma música mais ou menos assim:
- “Eu quero te estuprar com muito carinho, te estuprar com muito cuidado, te estuprar por causa da doooorrr”
  Me identifiquei com a música porque no momento eu tava praticamente sendo estuprado ao contrário e tava doendo pra burro. E foi, senti aquele momento de glória, todos os lixos saindo, o buraco sendo usado corretamente, eu caguei legal, ou como gosto de dizer: Fiz um clone do meu cérebro.

  Tá, eu sei que vocês não precisam saber os detalhes, mas eu deveria ter tirado uma foto, aquele dia eu fiquei sabendo como minha mãe se sentiu quando me teve. O foda é que eu já tava atrasadão pra escola, não que eu me preocupe em estudar, mas eu tinha duas provas. Como eu já disse aqui, o pior não é cagar, o pior é se limpar. E minha mãe ta economizando dinheiro e ta comprando uns papéis higiênicos que puta que pariu, acho que eu poderia usar um rolo daqueles como arma contra bandidos. Papel muito duro, ai já viu né? Tava eu la limpando, cuidadosamente mas com pressa e quando não liberamos um restinho que insiste em ficar dentro de nós não importa a força que fazemos parece que nunca ficamos 100% limpos. Chegou uma hora que começou a doer, eu enfiava quase a metade do meu dedo com o papel no meu cu mas ele insistia em ficar sujo. Não dava mais pra brigar com ele, tive que deixar lá e ir pra escola.

  Meu, foi o pior erro que já cometi. Aquilo assou, eu tava andando na rua e sentia aquela merda queimando em mim, o pior é que em público não dá pra enfiar o dedo para tentar desgrudar a cueca da assadura, porque ela gruda mesmo e isso dói mais com o movimento das pernas. Eu cheguei a suar no meio do caminho, doía demais aquilo. Mas ok, cheguei na escola e ja me sentei. Não foi lá uma boa escolha isso também, aquilo ardia demais, eu sentado e querendo me livrar da dor e tudo o que eu podia fazer era rebolar na cadeira, as pessoas do meu colégio já acham que sou anormal, imagino o que pensaram de mim depois de me verem sentado, sem parar de mexer a bunda um segundo sequer. Até pensei e ir no banheiro, cuspir na mão, passar no cu e depois lavar, mas isso seria nojento demais e resolvi esperar. As horas não passavam, eu tava eufórico, suando frio, colocando sutilmente a mão no “bolso” de vez em quando pra ajeitar a cueca mas nada funcionou. Eu imaginei que se algum maníaco chegasse pra mim naquele momento e quisesse me estuprar ele iria pensar que alguém já tinha chegado antes dele e feito o serviço muito bem.

  Acho que eu posso considerar esse dia como um dos piores da minha vida, pior até de quando eu fiquei de pau duro no ônibus, pois aquilo só me deixou envergonhado, isso me machucou profundamente numa parte que não deveria ser machucada jamais. Então cheguei em casa e fui ver o tamanho do estrago. Minha bundinha é branquinha, depiladinha, lindinha e perfeita como vocês devem imaginar, mas nesse dia estava vermelha, eu não podia encostar o dedo nela, não pude nem ficar de quatro na frente do espelho para que ela se abrisse e eu pudesse ver como estava meu precioso. O que eu fiz? Tomei outro banho. Não adiantou muito, mas aliviou. Claro que enquanto eu lavava minhas nádegas com água e sabão eu tinha que me segurar para não gritar feito uma menininha, e para enxugar foi a mesma coisa, parecia que tinham colocado gilete no pinto e me comido. Foi um dia foda. Por isso digo para vocês meus amigos, não deem o cu, deve ser quase a mesma coisa. E se limpem direitinho depois de cagar, se atrasem, percam o ônibus, mas valerá a pena.

  Só não entendo porque eu ainda preciso cagar, já não faço merda o suficiente na vida? Botar uma rolha não é a solução, mas deveria…

  Saudades da época que tinha bebês por perto e eu podia usar o Hipoglós deles… Na próxima vez pedirei pra mamãe me limpar, ela fez isso por vários anos, porque não fazer agora?

blog comments powered by Disqus
 
Web Analytics