Maldito gordo inútil

Postado por Unknown | | Posted On sábado, 21 de março de 2009 at 12:02

  Não pessoal, não irei reclamar de nenhuma bola de merda escrota com pênis pequeno que são os gordos, e sim de mim. Que estou virando um. É foda, eu estou me transformando na coisa que eu sempre odiei, que eu sempre fazia piadinhas idiotas com a barriga enorme deles e sobre como eles conseguiam mijar sem ter que tirar a parede de banha que cobria seu pinto. Me lembro como eu era a 3 ou 4 anos atrás. Fazia exercícios todo dia, era conhecido como o “fortinho” do grupo, o que mais fazia barra, o melhor nas flexões, eu era o único que fazia 10 flexões com apenas um braço… Bons tempos.

homem_mais_gordo_do_mundo
(ele me parece ser um cara feliz, um gordo sem mamilo direito, mas feliz)

  Todo dia depois da aula, eu dormia, acordava e ia pra garagem. Ligava o som e ficava lá, suando, fazendo milhares de abdominais, milhares de polichinelos, milhares de flexões por dia e mantia uma barriguinha não muito sarada, mas bonita. Não era, como vocês devem imaginar, notado por nenhuma menina, mesmo tendo um corpo de atleta e um rostinho quase lindo, mas eu era feliz comigo mesmo. Mas hoje em dia tudo mudou.

  Comecei a beber, comecei a fumar, virei um gordo inútil, isso é fato. Minha barria já pode ser notada a uma boa distância, minhas flexões não passam de 5 com as duas mãos, se eu tento fazer abdominais eu bato com o queixo no umbigo… Mas o pior é a minha falta de fôlego. Meu percurso da minha casa até minha escola dão umas 6 quadras, e como eu chego lá? Ofegante e quase morrendo, suado, implorando por um lugar que eu possa sentar e ficar horas até eu me recuperar e voltar por esse percurso novamente. Eu sempre mative minhas 2 refeições diárias, já que acordo na hora do café da tarde e vou dormir na hora que meu vizinho está acordando pra ir trabalhar. (Falar nisso, puto vizinho filho da puta eu tenho. Sei que já falei aqui sobre isso, mas hoje ele fez devolta. 7h da manhã ele liga uma porra de máquina de cortar lenha e acorda a vizinhança inteira. Eu fico deitado na minha cama rezando para que esse velho inútil enfie a cabeça na porra da máquina e eu veja litros de sangue batendo em minha janela, ai sim eu tenho certeza que dormirei bem).

  Mas isso deve ser genético. Minha família é composta por bêbados gordos, e acho que de tanto zuar eles, estou virando um. Mas como todo gordo que se preze, eu não vou tentar mudar, não voltarei a fazer academia, não voltarei pra academia de boxe que eu treinei por um tempo (tenho que me lembrar de fazer um post sobre ela), não vou diminuir minhas refeições e nem parar de beber. Foda-se, se é pra ser um gordo, serei com orgulho. Afinal, eu nunca peguei mulher mesmo sendo gostosinho, acho que nada vai piorar depois de eu ser um gordo. Mas fiquem com a consciência pesada, porque tudo isso é culpa de vocês e das casas bahia. Se não fosse esses dois fatores eu não perderia horas do meu dia sentado numa cadeira de varanda (a minha quebrou, provavelmente com meu peso, e essa é tão confortável), escrevendo nesse blog inútil com meu computador pago em 24 vezes sem juros apenas pra tentar fazer vocês rirem ou conseguir um strip no msn. (Falar nisso, faço tantos apelos pra apenas um strip nessa bosta e ninguém faz. Vamos lá garotas, confiem em mim. Eu sou burro demais pra aprender a gravar, e nunca faria isso com a única chance que eu teria de ver uma mulher nua que não seja em sites estrangeiros de zoofilia).

  Mas acho que ser um gordo não é de todo o mal, e daí que as pessoas olharão mais para mim com cara de nojo? Elas ja fazem isso desde que eu nasci. E daí se meu pinto ficará perdido no meio de tanta banha? Essa porra não serve pra nada mesmo. E daí se me chamarão de apelidos comuns de gordos e de nome de animais? Eles sempre fizeram isso, já me chamaram de tudo, menos de jegue, por motivos óbvios. Continuarei sentado em minha cadeira confortável, comendo frango frito e bebendo cerveja, pensando em coisas inúteis pra falar aqui, demorando 10 minutos a mais do que o normal na masturbação, porque agora eu tenho que dar uma pausa nos meus sonhos eróticos pra dizer pras minhas tri-gêmeas asiáticas ninfetas de bunda grande e voz de dubladora de menininhas pré-adolescentes de filmes de sessão da tarde que preciso dar um tempo pra recuperar o fôlego enquanto elas brincam com minha escova elétrica esfregando em suas periquitas devidamente depiladas com pinças esterilizadas com alcóol misturado com sêmen de elefante homossexual com aids, pra ai sim eu poder continuar minha brincadeira solitária e meio estranha.

  Um dia, quando eu ficar rico, fodão e fizer tratamentos de aumento de pênis, eu abrirei um restaurante que chamarei de “Casa da gordura”, onde induzirei jovens magrelos a ficarem gordos e inúteis iguais eu e dominarei o mundo. Comprarei o macdonals, pra ver se assim esses filhos da puta achem minha casa no mapa e tragam a porra de um hamburger até aqui. Malditos, agora só porque moro na favela eles não podem vir entregar? Isso é preconceito…

obs: é meio dia e aquele filho duma grande, fedida, nojenta e estúpida prostituta do meu vizinho não desligou a maldita máquina. Eu morrendo de vontade de ir dormir e o velho lazarento não desliga. Mas um dia ele vai enfiar a cabeça lá e morrer, ahhh se vai…

blog comments powered by Disqus
 
Web Analytics