Outra breve história sobre o amor

Postado por Unknown | | Posted On quarta-feira, 19 de setembro de 2012 at 14:06

2012-09-17 14.36.46

  É de conhecimento geral o fato de que se você dançar pelado na frente do espelho do banheiro, acompanhando alguma música Indie criada nos anos 2000 enquanto seu cachorro te observa pela janela com um olhar penetrante de desaprovação, todas as energias do universo focam em você te oferecendo um unico pedido. Essa é a história de Jair, um garoto que mesmo tendo nome de gente velha não desistiu de seus sonhos, e fez um pedido muito especial.

  Eu ainda me lembro daquela manhã especial no Shopping com você, nos dois estávamos na praça de alimentação comendo algum fast food qualquer que minha privada se lembrará por mais tempo do que eu, quando aquela sua pergunta abriu as portas para o nosso amor sincero e real.

- Então me diz, qual é a parte de uma mulher que você mais gosta?
- Mônica, não tem como eu responder a isso, porque eu não gosto de todas as mulheres, eu só gosto de você, e a parte que eu mais gosto em você é… tudo.

  Eu achava que nosso amor iria durar para sempre, como naqueles filmes onde o amor dura para sempre – desculpem, não consigo pensar em nenhuma referência ao eterno aqui, pois, como dizia uma velha poeta nacional antes de se render ao sexo e as drogas pesadas, o que é imortal não morre no final – e nosso amor um dia morreu.

  Meu pedido especial ao universo após essa desilusão amorosa que arrancou meu coração e o pendurou em praça pública com os dizeres “eu sou um idiota, chute-me”, foi o seguinte: Toda mulher que olhar nos meus olhos por 10 segundos seguidos irá se apaixonar por mim. Pra ser sincero eu só estava pensando no sexo, eu não enxerguei maldade nesse pedido, afinal, eu faria as mulheres se apaixonarem por mim, transaria, nunca mais iria aparecer e logo o encanto acabaria e elas seguiriam seu rumo.

  Eu fiz muito sexo nessa época, não irei detalhar todos aqui porque a maioria era nojento, e os que não eram nojentos eram crimes.

  Tudo se foi quando eu reencontrei com Mônica. Ela parecia feliz sentada no colo de um musculoso arrombado que usava uma camisa com os dizeres: “Pra balançar isso aqui é BOMBA”, e nem reparou a minha presença. Esperei até o marombeiro sair para comprar um gibi do Batman na banca da esquina, o que achei um comportamento pouco natural para um cara desses, e me aproximei do meu unico amor, ajoelhado aos seus pés e olhando fixamente para seus olhos sem falar nada por tempo suficiente para isso ser algo constrangedor.

- O que você está fazendo ai Jair?
- Você já está apaixonada por mim?
- Do que você tá falando, nos terminamos não se lembra? Agora eu amo o Jackson

  Olhei para o dito Jackson e ele estava se matando de rir sozinho no outro lado da rua. – Ahh, esse Robin é mesmo uma figura – foi o que ele disse antes de virar para a próxima página.

- Mas Mônica, agora eu posso ter a mulher que eu desejar, todas se apaixonam por mim com apenas um olhar, mas eu só quero você.
- Desculpe Jair, mas não podemos mais ficar juntos, eu nunca te amei.

  Aquelas palavras ressoaram em seu cérebro como se alguém tivesse enfiado um garfo nele e comido toda a área da esperança que ele possuía. Nesse momento ele se tocou do óbvio. O universo é um grandessíssimo filho da puta, fez com que ele pudesse ter todas as mulheres que desejava, exceto a que ele amava. E como um pedido não pode ser desfeito, Jair se matou. Toda a sua dor foi embora junto com sua alma, e a Mônica? Bem, a Mônica que se foda, aquela vadia destruidora de lares.

coração.alegre

blog comments powered by Disqus
 
Web Analytics