Luan em um dia de fúria!

Postado por Unknown | | Posted On quinta-feira, 28 de outubro de 2010 at 19:44

umdiadefuria Não sou o Dunga, mas também sou considerado um merda por todos

    Tudo começou com meu instrutor de carro da auto escola mandando palavras de motivação do tipo: ‘Porra cara, você já tá na quarta aula e ainda não aprendeu a fazer isso? Desse jeito não tem como eu te ajudar”. Você tá aqui pra me ensinar, seu filho de uma grandessíssima senhora de zona barata no meio da favela, PORRA!!

  Eu não podia errar, cada erro era uma brecha para seus ataques de superioridade de quem não faz sexo com um ser de carne e ossos à milhares de anos. E eu errava, muito. Quase matei um motoqueiro, mas isso não vem ao caso.

  No trabalho fiquei puto com um cara, cujo nome não citarei porque merda não tem certidão de nascimento. Ele roubou meu dinheiro e me tirou o único momento que eu tenho para fumar um cigarro inteiro sem sentir medo de ser descoberto e demitido.

  Então, ainda nesse dia, eu derramei uns 3 pingos de gasolina na moto de um favelado de terno – você sabe diferenciar um favelado de terno de um cara de terno – pra que? O bicho ficou louco da vida, disse que eu tinha que prestar mais atenção no que faço, estou sendo pago pra isso, e eu era um inutil sem vontade alguma de abastecer sua Honda comprada em 60 vezes de 100 reais sem juros, iria reclamar com meu chefe e blá blá blá.

  Não sou de brigar e fiquei quieto, escutei tudo, o sangue fervendo mas a boca fechada, se eu explodisse nesse momento até o sapatênis do maldito iria ficar com vergonha e se transformaria em havaianas só para passar despercebido.

  Ele falou e falou e falou. Eu apenas peguei o dinheiro e dei as costas para ele. 10 minutos depois o maldito sem nome que trabalha comigo começou a me provocar. Nessa hora não aguentei, xinguei ele de nomes que seriam de baixo calão até para o nível desse blog, quase brigamos mas fomos separados.

  Em casa fui tomar banho, ouvindo um panque roqui moderninho e batendo nas paredes com tanta raiva que se ele fosse um cu estaria nascendo merda no cabelo do seu dono.

  Até que na lista de reprodução do meu celular começou a tocar Happy together, do The turtles. PORRA! Não tem como ficar bravo ouvindo essa música, ela faz policiais metralharem beijos em bandidos, faz o Hulk se transformar em uma borboletinha cor-de-rosa, faz meu pai me amar. Ela não serve pra ocasiões de raiva. Só serve pra encenar musicais gays no chuveiro usando o frasco de shampoo como microfone e o sabonete como lubrificante.

  “Quando o seu dia for uma merda, lembre-se: cu que caga tem mais espaço pra dar (?????)”

blog comments powered by Disqus
 
Web Analytics