Crônicas de um palhaço sem graça, parte II

Postado por Unknown | | Posted On terça-feira, 3 de agosto de 2010 at 16:44

pennywise

  “Filhos da puta. Tentaram me espancar essa semana durante uma conversa sadia sobre religião. O fato de eu não acreditar em Deus fez com que os devotos me olhassem como se eu tivesse estuprado milhares de crianças autistas em um único dia. Sempre perguntam a mesma coisa: ‘Então me responda porque você está aqui’. Eu estar aqui é resultado de exatamente 4 motivos principais:
- Uma garrafa de vinho, uma noite chuvosa, minha mãe entediada e meu pai excitado. Ninguém entende e ficam nervosos comigo, acham que eu sou adorador do demônio. Explicar não adianta, uma mente pequena em grupo é maior do que uma mente enorme sozinha.”

Violência: o argumento dos ignorantes

  Fodam-se eles, minha vida já é uma bosta por si só, não preciso provar meus pontos, só preciso obtê-los. Ultimamente ando muito filósofo, a vida não é mais como antigamente para mim e tudo o que me restou foram meus pensamentos.

  Vago pelas ruas diariamente procurando a fama que eu possuía anteriormente, quando eu era Declausios, o palhaço, e não apenas um palhaço. Quando as mulheres me davam por prazer e não por pena.

  Essa noite tive um sonho, eu estava em uma aula de engenharia eletrônica, coisa que não entendo nada, já que no sonho isso significava lidar com carros. Não entendi porra nenhuma, mas era apenas um sonho.

  Eu estava lá com várias pessoas conhecidas. Velhos amigos, mulheres que tentei pegar através dos anos, mulheres que me deram fora durante anos, mulheres que foram páginas iniciais do meu firefox durante anos.

  Então um ovo veio do céu e eu o peguei. Dentro dele começou a nascer uma mulher que logo se transformou em minha tia. As vezes tenho medo da minha mente doentia, até meus sonhos são estranhos.

  Após isso eu estava em uma piscina com milhares de pessoas. Eu estava caçando livros. Acordei com uma ereção, não sei como e não sei porque, mas me masturbei e agora estou aqui, sozinho, com minha maquiagem de palhaço já gasta.

  Um dia voltarei ao normal, até lá continuarei sendo esse estranho palhaço sem graça que ninguém admira…

Tapa na tilápia ruiva

blog comments powered by Disqus
 
Web Analytics