Coisas que eu tinha medo quando criança

Postado por Unknown | | Posted On quarta-feira, 28 de outubro de 2009 at 15:14

Prostitutas

  post1

   É verdade, não sei bem o porque disso, mas eu tinha. Acontece que um dia eu estava andando no centro da cidade com meu amigo, era a primeira vez que eu andava pelo centro de noite e aquilo já era bastante assustador para um garotinho filhinho de mamãe criado a leite ninho e nesquik de morango. Em uma das ruazinhas dessa assustadora cidade nos passamos perto de duas mulheres com roupas provocantes, rosto cheio de maquiagem e pernas grandes quando uma delas nos chamou. Eu realmente não fazia idéia do que elas queriam e ainda não sabia que elas poderiam nos levar para um mundo repleto de diversão e prazer, e principalmente não sabia distinguir uma mulher de verdade de uma mulher com pinto, então não sei se elas eram uma simples barra de chocolate lacta ou um kinder ovo com surpresinha desagradável. Nos dois fomos para perto delas.

  Chegamos e uma já disse que nos achou muito lindinhos, passou a mão no rosto do meu amigo e perguntou se nos teríamos algum dinheiro para ela nos mostrar algo. Quando eu saía eu dificilmente levava dinheiro, apenas a passagem do ônibus e olha lá, eu continuo sendo assim, mas que seja.

  Eu já estava assustado nesse momento, não falei nada e comecei a tremer um pouco, acho que eu pensava que elas iam nos assaltar ou algo do tipo, se eu soubesse que a única coisa que elas queriam roubar era minha virgindade eu seria um homem mais feliz hoje em dia e provavelmente esse blog não existiria. Ela disse que eu era tímido mas que não precisava ser, elas eram pessoas legais e perguntou nosso nome. Meu amigo mentiu o dele e eu disse o verdadeiro, elas fizeram mais algumas perguntas e riam toda hora, eu estava meio que desesperado, não sabia o que fazer. Até que me deu um pouco de coragem e disse que tínhamos que ir pra casa. Elas riram e uma deu um beijo em nossos rostos.

  Sem me despedir eu virei e comecei a andar, rápido, mais rápido, mais… quando eu vi estava eu e meu amigo na outra rua correndo feito corintianos de policiais e sem sequer olhar para trás. Sim, eu já corri de uma prostituta. Não me orgulho disso, mas eu era uma criança, meu pinto ainda nem dava conta de 5 dedos imagine de uma vagina experiente. Acho que meu amigo ficou com tanto medo quanto eu, só sei que nunca mais falamos sobre isso. Nem depois do ocorrido, quando pegamos nossos caminhos diferentes e fomos para casa, nem hoje em dia, que ainda o vejo regularmente.

Teletubbies

  post2

   Não era bem do desenho que eu tinha medo, eu até que assistia com meu pai em nossa antiga casa, e isso aconteceu um dia na casa do meu avô que era lá perto.

  Eles estavam conversando e lendo o jornal, quando meu pai começou a ler pra mim uma matéria dizendo sobre as suspeitas daquele jinkie winkie (sei la como se escreve isso) ser homossexual. Porra, eu nunca tinha tido contato com homossexuais, nem sabia exatamente o que significava, só sei que quando meu pai disse isso eu congelei. Na minha inocência eu não queria saber que um desenho tão fofo e popular tivesse um personagem que fosse essa coisa que eu não fazia idéia que era apenas um queima rosca. É, acho que eu tinha um pouco de medo de homossexuais, mas fazer o que né? Eu sempre fui um cara medroso desse tipo, tinha medo de tudo o que era novo para mim. Acho que é parte da infância, ter medo antes de saber o que é, ou eu era um super protegido com medo de aprender sobre coisas novas.

Quadro misterioso

post3

  Primeiramente quero explicar que não lembro qual quadro era, nem como ele era, coloquei essa foto porque fiquei com medo do menininho encapetado que está nela, mas o tal quadro misterioso ficava na casa de um vizinho de infância que era chamado de “Louquinho”, eu tinha mais medo dele do que do quadro, ele era drogado, batia nos pais e quando mandávamos ele pegar nosso pau ele realmente pegava e só soltava quando conseguíamos assoviar, era torturante, mas isso é outra história…

  Dizia a “lenda da rua” que ele ficou louco por causa desse quadro, que quando ele passava por ele tinha a impressão que a cabeça pintava se movia em sua direção, isso o fez enlouquecer e, como diziam as outras crianças, adorar o tal desenho como se fosse um chefe de uma seita satânica.

  Porra, isso me deixava assustadão, com direito a sonhar com o tal quadro. Só consigo me lembrar uma única vez que eu tive contato com ele, e envolveu também meu próximo medo, brigas.

  Era uma tarde normal na vila, estava com meus amigos na rua, eu sempre fui o mais novo de todos e também o mais zuado por eles, quando começamos a ouvir uns barulhos vindos da casa do louquinho. Gritos, choros, palavrões. Quando a mãe do louco saiu pra fora gritando que o filho tava querendo matar o pai. Eu fiquei parado e todos os outros mais velhos entraram na casa pra separar o cara. Demoraram bastante e eu nem sonhei em tentar ir. Logo a rua inteira estava lá dentro, a polícia chegou, foi uma zona. No final ele foi preso e os pais foram pra delegacia e eu, espertão como sempre, resolvi entrar na casa com o pessoal pra ver o estrago. Lá dentro estava o quadro, eu fiquei olhando fixamente pra ele enquanto os outros contavam suas mentiras pra me assustar. Juro que até tentei me mover no momento que fiquei sozinho pra ver se ele me acompanhava também mas nada aconteceu.

  Hoje já não sei quem mora naquela casa e nem quero saber que fim deu a esse quadro, só sei que isso me assombrou por muito tempo.

Brigas 

 post5

  Pra esse eu não tenho uma história, tem várias mas não quero fazer vocês perderem mais tempo aqui, eu tinha medo de qualquer tipo de briga, odiava isso de verdade. Quando acontecia alguma briga eu morria de medo, congelava, ficava escondido. Me lembro uma vez na festa do meu primo (um dos que sumiram no mundo, nunca mais tive contato com ele) que um de seus amigos ficou bêbado e começou a brigar. Era no bar do meu tio e só me lembro de haver muita gritaria, pessoas correndo, minha prima entrando e trancando a porta e depois meu primo entrando com o nariz sangrando e falando muitos palavrões.

  Também tinha medo de me envolver em brigas, eu era fraquinho, magricelo e estranho, não tinha o porte físico maravilhoso e escutural que eu tenho hoje em dia, com minhas pernas gostosas, meus braços fortes e minhas poses de macho de verdade que adquiri com o tempo

OgAAANLw3HaBmWmlIDWCETxTwelieMUeO-Sln93HUuLTgtcH9bYZGVEXjDWTK9ENcKoPJ8wpWM4tGa3MBDmsJnRiBcYAm1T1UE3n5q3JBG-dr26oaEm6hn3uTtKK

  Tenho orgulho da minha macheza hoje em dia.

 

  Mas brigas eu não entrava. Me lembro de uma vez que um cara queria me bater não sei porque e eu me recusei a brigar. Todos meus amigos ficaram fazendo pressão pra eu me levantar e apanhar dele, mas fiquei na minha e não cedi à pressão. Fui chamado de gay por um bom tempo, mas eu não ligava. Preferia ser um medroso com o nariz intacto do que um machão todo fudido. Até hoje não gosto de brigas, a não ser quando to bêbado que é legal brincar, dar socos no ar, não sentir dor, parecer um dançarino de balé em carvão quente. É legal.

Chuck

post4

  Ahh quem não tinha??

blog comments powered by Disqus
 
Web Analytics