Eu só atraio mulheres loucas

Postado por Unknown | | Posted On terça-feira, 25 de agosto de 2009 at 03:08

courtney-love

  Em minhas poucas experiências relacionadas ao sexo feminino, eu pude notar que apenas as loucas/bêbadas/insanas sentem alguma atração por mim (o que não é nenhuma novidade, pra gostar de mim tem que ser muito louca mesmo), comprovei isso de verdade esse fim de semana em uma festinha nos amigos do meu primo. Era uma típica festa de favela, com direito a bebida barata, drogas, armas, shorts que deveriam ser exclusividade do exército porque lá dentro pode-se esconder mais armas de destruição em massa do que o Afeganistão, mulheres com sovaco peludo, homens de bigodinho e cara de mal que não param de olhar pra nos, funk e uma caixa d’água que serviu de piscina. Sei la o que deu em mim de ter ido nesse lugar, mas fazia tempo que eu não via meu primo e não recusei o convite.

  Chegando lá meu primo conhecia todo mundo, já de cara ele beijou umas 3 faveladinhas na boca enquanto eu cumprimentava os bandidões vida lokas from hell com abraços e tapinhas na bunda. Ficamos num canto bebendo nossa pinga de garrafa plástica misturada com sukita laranja e vendo as mulheres dançando de um jeito tão sexy que eu podia ver a cabecinha dos nenêns aparecendo no útero das grávidas (em festas assim elas são maioria). Foi então que eu a vi. Dançando, moreninha que seria feia pra caralho se eu tivesse visto ela antes da pinga, ela olhou pra mim com aquela cara de: “é pra esse que eu vou dar”, eu olhei pra ela com aquela cara de:” é, no desespero até um pedaço de merda se transforma em um hambúrguer”. Ficamos nos olhando até que meu primo foi me apresentar a ela.

  Não faço questão de me lembrar o nome dela agora, porque provavelmente ela não lembra de mim e a imagem mais clara que tenho de tudo foi meu vômito caindo na privada horas depois, mas isso não vem ao caso. Sério… eu dancei funk esse dia. Que vergonha. Odeio essa porra, mas com bebida e uma mulher que não faz cara de nojo quando olha pra mim nos deixa mais animados a experimentar coisas novas. Nos beijamos, ela me agarrava como se eu fosse o único homem que não fedia a vômito na festa (eu era, até horas mais tarde), me beijava de um jeito que eu podia sentir minhas amígdalas balançando ao som de sua língua. Foi uma imagem no mínimo estranha… Não que seja estranho beijar, mas ela era estranha e eu também sou então tudo isso se transformou em um baile dos horrores.

  Mas ela era louca. Vejam bem, eu já fiquei com mulheres loucas antes (todas, praticamente), com direito a mulher que sentia cócegas na bunda, outra que chupava um pirulito de uva enquanto me beijava O-o (longa história), outra que andou até minha casa e se recusou a entrar no meu quarto porque disse que tinha alergia a poeira (é, isso doeu). Mas essa… meu, só sei que nesse dia eu com certeza bati o record de uma ereção contínua, ela se esfregava, rebolava, me dava bundada, eu tentava esconder o volume não-tão-grande-assim mas notável, parecia que todos no lugar estavam olhando pra nós. Eu dançava funk como uma lagartixa dança rock, eu simplesmente não sabia o que fazer, ou eu ficava parado esperando minha calça explodir, ou eu fazia pequenos movimentos no quadril numa espécie de blues pesado com letras de sexo, foi tenso.

  Ah, pra adiantar, não, não perdi minha virgindade nesse dia. Consigo ser um fracassado até com uma menina dessas que seu eu colocasse um hot poket da sadia em sua buceta em 2 minutos ficava pronto de tão quente que ela tava. Mas não foi culpa minha, ela foi embora mais cedo (com outro cara, mas não to muito afim de falar disso).

  Eu e meu primo ficamos mais algum tempo lá, não faço idéia de quanto exatamente e não sei nem como cheguei em casa, só sei que no outro dia acordei com uma puta ressaca e com frio, porque ainda tava tão duro que as cobertas não ficavam coladas no meu corpo. Mas até que valeu, nunca tive uma sessão de descarrego sexual solitário tão forte como tive após isso.

  Detalhe nada importante: Sábado eu tava na rua com meu amigo, bebendo cerveja e passou por nós aquela menina das cócegas na bunda junto com uma amiga. Meu amigo que me disse que era ela porque, puta que pariu que muié feia, maldita bebida. Ela olhou pra trás e começou a rir junto com a amiga. Fiquei pensando na cagada que eu devo ter feito no dia que fiquei com ela, as vezes é melhor você não se lembrar de algumas coisas mesmo. Mas agora fica a pergunta: Serei eu para sempre um fracassado com as mulheres? Serei para sempre o cara que é pego por uma noite e no dia seguinte é motivo de risadas? Serei para sempre o cara que nunca beijou uma mulher que ele achasse bonita quando sóbrio? Um dia descobriremos isso, até lá só me resta usar meu braço e ter esperanças. Droga, tem um funk que não sai da minha cabeça. Algo com uma tchutchuca, treme, e mais algumas palavras cheias de cultura.

blog comments powered by Disqus
 
Web Analytics