imbecilidades da adolescência

Postado por Unknown | | Posted On quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010 at 00:13

  Na adolescência fazemos muitas coisas retardadas que quando olhamos pra trás pensamos: Porque diabos alguém deixa uma pessoa dessas viva? As vezes são coisas simples, como postarei aqui, outras mais idiotas, mas que nos fazem pensar o que levou nós a fazermos isso.

  1: Brinco na orelha, boné, cabelo comprido: Essas coisas podem ficar boas em você, no seu vizinho, no seu peixinho dourado, mas nenhuma delas nunca combinaram comigo. Brinco apenas chamava mais a atenção para minha orelha grande, de dumbo mesmo, isso não é tanto problema agora, era mais na minha infância que minhas orelhas se destacavam de todo o resto do meu corpo, agora minha gordura meio que disfarça ela, mas mesmo assim usar aquele brinco era muito feio em mim. Resolvi tomar vergonha na cara e parar de usar no caminho para me alistar no exército, quando meu pai disse que não tava me levando para uma boate gay dos anos 80 e aquilo não seria bem visto lá. Boné era a mesma coisa, cabelo comprido tinha gente que gostava, principalmente minha mãe, que sempre quis ter uma filha e isso foi o mais perto que ela chegou desde que eu parei de usar batom com 6 anos.

  2: Pôsteres de bandas/cantores/mulheres peladas no quarto: Porque ninja do céu, porque eu teimava em comprar revistas e pendurar os pôsteres na minha parede sendo que as únicas pessoas que visitavam meu quarto eram minha mãe para limpar e bichos nojentos que nem ler sabem? (Eu sei que eles não sabem ler porque coloquei uma plaquinha: “proibida a entrada de seres com mais de duas pernas/patas”, mas tive que tirar porque um dia meu tio Paulão veio me visitar). Não faz sentido isso, ficar olhando para pessoas que nem conheço coladas na minha parede, pra mim é igual assistir a um jogo de basquete no segundo tempo, é a mesma porra sempre, só muda o ângulo.

  3: Bebida sem limite: Tudo bem, isso não é só na adolescência, ainda faço isso, mas começou lá. Quem precisa parar? Nosso corpo avisa o momento exato de parar de beber, sim, o corpo, e não a mente. E sempre aprendi que o momento exato de parar de beber é quando você acordar em um quarto desconhecido, cheirando a vômito e só de cueca. Ai você levanta, sai, vai para fora pra poder identificar o terreno e ver se é seguro, se for bebe mais um copo e volta a dormir. Nesse momento tem que parar. Mas por favor, só faça isso se você for forte para a bebida, não seja idiotas iguais meus amigos que bebem e vomitam na pia do meu banheiro. Sério, na pia é sacanagem, ainda não descobri quem fez isso porque um vive acusando o outro, mas porra, meu banheiro, a privada fica exatamente ao lado dela, nem um passo pro lado e você acerta, não tem como confundir e nem usar a desculpa de que não deu tempo, fiz um desenho mostrando como é o meu banheiro:

banheiro

 

  É do lado, imagino se esse cara estivesse bêbado e com vontade de cagar, iria fazer na pia, lavar na torneira e secar com minha toalha de rosto, ai o próximo que vomitasse certo iria lavar o rosto e secar com uma toalha de merda.

*Comentário nada a ver com o resto do post*

  Hoje sonhei que tinha uma mulher do mal invadindo um super mercado, para parar ela, eu usei uma super voadora em sua barriga, foi tão forte que ela caiu no chão e se transformou em um pombo bebê (???), e começou a crescer rapidamente até se tornar uma mulher de volta (?????????). Ai descobri que ela era a namorada do meu primo, eu falei mal dela pra ele, e ele tatuou minha cabeça com números de 1 a 10 (??????????). Então fiquei bravo e comecei a bater nele, até que apareceu uma velha e me acertou com uma bengala, a bengala era tipo uma chave que ativou os números da minha cabeça (???????????????????) e eu fui mandado para uma dimensão paralela onde encontrei uma barata do mal (???????????????????????????????????????????), briguei com ela e ai eu acordei.

*/Comentário nada a ver com o resto do post*

  Mas não é exclusividade da adolescência fazer coisas idiotas que faz você pensar que você era um… idiota. Hoje mesmo eu tava no banheiro e consegui a façanha de espirrar perfume no meu olho. Cara, que tipo de pessoa normal consegue espirrar perfume no próprio olho? Sério, o pescoço fica muito longe dali, não tem como alguém com uma mente contendo pelo menos dois neurônios conseguir fazer isso, é muita imbecilidade.

  Imagine a cena, eu, trancado no banheiro, com perfume nos olhos, sem poder abrí-los, sem poder chamar alguém pra me ajudar (já basta vocês saberem que sou retardado, meus pais não precisam ter mais certeza), sem achar a porcaria da pia, e quando acha ainda consegue derrubar o frasco de perfume aberto na privada, porque como vocês já viram ficam muito perto um do outro. Só eu mesmo.

  Fui para a escola com os olhos vermelhos e ardendo, já devem imaginar quantas pessoas me chamaram de maconheiro. E pra dizer bem a verdade, prefiro ser o maconheiro do que o cara que espirra perfume no próprio olho.

  Fiz outras idiotices esses dias “pós-adolescência” também (coloquei entre aspas porque ainda acho que só passei da adolescência legalmente, mentalmente não passei nem da infância ainda), como cortar a perna em um parafuso solto ao lado da minha cama, isso que já tinha me raspado lá umas 20 vezes, mas precisa de sangue pra me fazer tomar vergonha na cara e arrancar logo aquela arma… muito sangue. Me queimar com o cigarro 3 vezes no mesmo lugar do meu braço direito, e finalmente, jogar minha bolinha de baseball pra cima enquanto to deitado na cama de olhos fechados e tentar pegar com o instinto. Meu saco não me agradece por isso.

  Mas fazer o que né? A vida é uma merda e somos simples pedacinhos de milho tentando sobreviver após a descarga…

 

P.S: Isso é o que acho da minha adolescência, se você fez/faz tudo isso e não vê nada de mais o problema é seu.
P.S²: Ainda quero as fotos de seus seios.

blog comments powered by Disqus
 
Web Analytics